Topo

Conteúdo publicado há
10 meses

Família de bilionário pede apuração sobre submersível: 'O que deu errado?'

O bilionário britânico Hamish Harding estava entre os passageiros a bordo do submersível que desapareceu na viagem aos destroços do Titanic - JANNICKE MIKKELSEN/Jannicke Mikkelsen via REUTERS
O bilionário britânico Hamish Harding estava entre os passageiros a bordo do submersível que desapareceu na viagem aos destroços do Titanic Imagem: JANNICKE MIKKELSEN/Jannicke Mikkelsen via REUTERS

Do UOL, em São Paulo

23/06/2023 16h47Atualizada em 23/06/2023 20h13

A família do bilionário britânico Hamish Harding, um dos mortos na tragédia do submersível que havia desaparecido no Oceano Atlântico, pede às autoridades uma rígida investigação do caso.

O que aconteceu:

A prima e afilhada do bilionário, Lucy Cosnett, disse à BBC que deseja uma investigação completa do caso e questionou quais verificações de segurança foram feitas antes da tragédia do submersível.

"Isso deve ser totalmente investigado, para ver o que deu errado. Por que aconteceu? Por que eles não sobreviveram?".

Lucy ainda afirmou que ficou esperançosa com os ruídos captados durante as operações de busca e achou que eles pudessem ter vindo do submersível.

"Mas ontem foi o pior quando ouvi que ele não sobreviveu, que todos morreram", desabafou.

"Ele [Harding] faria aniversário amanhã, 59 anos. Eu teria enviado uma mensagem para ele ou tentado ligar para desejar-lhe feliz aniversário", afirmou a mulher.

Na quarta-feira (21), a família do bilionário britânico criticou ao jornal britânico The Telegraph a demora de oito horas para a OceanGate entrar em contato com as autoridades e relatar o desaparecimento do submersível. Eles afirmam que o tempo foi "longo demais".

Quem era o bilionário?

O bilionário era presidente da empresa de aviação Action Aviation. Harding visitou o Polo Sul várias vezes e foi ao espaço em 2022 a bordo de um voo da Blue Origin.

Ele tinha três registros no Guinness World Records, segundo a BBC, incluindo o recorde de maior tempo gasto em profundidade total do oceano, em mergulho na Fossa das Marianas.

Hamish Harding anunciou nas redes sociais que faria parte da expedição. Na publicação, ele disse estar orgulhoso por fazer parte do grupo de "exploradores lendários".

Entenda o caso

Os tripulantes do submersível (da esquerda para direita): Stockton Rush, CEO da OceanGate; Paul-Henry Nargeolet; Suleman Dawood e seu pai Shahzada Dawood; e o bilionário britânico Hamish Harding - Shannon Stapleton/REUTERS; Reprodução/LinkedIn; Família Dawood; e JANNICKE MIKKELSEN/Jannicke Mikkelsen via REUTERS - Shannon Stapleton/REUTERS; Reprodução/LinkedIn; Família Dawood; e JANNICKE MIKKELSEN/Jannicke Mikkelsen via REUTERS
Os tripulantes do submersível (da esquerda para direita): Stockton Rush, CEO da OceanGate; Paul-Henry Nargeolet; Suleman Dawood e seu pai Shahzada Dawood; e o bilionário britânico Hamish Harding
Imagem: Shannon Stapleton/REUTERS; Reprodução/LinkedIn; Família Dawood; e JANNICKE MIKKELSEN/Jannicke Mikkelsen via REUTERS

O submersível, apelidado de "Titan", submergiu na manhã de domingo, 18 de junho. Os turistas queriam ver os destroços do Titanic, localizado no Atlântico Norte.

O barco de apoio na superfície, o quebra-gelo Polar Prince, perdeu contato com ele cerca de uma hora e 45 minutos mais tarde, segundo a Guarda Costeira dos EUA.

Um piloto e quatro passageiros faziam parte da expedição e todos morreram. São eles: Stockton Rush, presidente da OceanGate; o bilionário Hamish Harding; Shahzada e Suleman Dawood, um empresário paquistanês e seu filho; e Paul-Henry Nargeolet, ex-comandante da Marinha Francesa e considerado um dos maiores especialistas do naufrágio do Titanic.