Topo

Conteúdo publicado há
10 meses

CEO da OceanGate ignorou alertas de especialista sobre segurança do Titan

O submarino Titan, da OceanGate - Reprodução / OceanGate
O submarino Titan, da OceanGate Imagem: Reprodução / OceanGate

Colaboração para o UOL

23/06/2023 16h22

O CEO da OceanGate, Stockton Rush, ignorou diversos alertas dados por um especialista sobre a segurança do submersível Titan, que implodiu a 3,2 quilômetros de profundidade, no Oceano Atlântico.

O que se sabe:

Os avisos foram registrados em trocas de emails entre o especialista em exploração do fundo do mar, Rob McCallum, especialista em exploração do fundo do mar e o CEO da OceanGate, Stockton Rush, revelou a BBC.

McCallum pediu que a empresa parasse de usar o submersível até que ele fosse classificado por um órgão independente, mas Rush rejeitou as preocupações e defendeu sua "abordagem inovadora".

Os advogados da OceanGate ameaçaram processar McCallum, encerrando a troca de mensagens.

O submersível Titan nunca foi certificado ou classificado por um órgão independente. Submersíveis podem ser certificados ou "classificados" por organizações marítimas para garantir que atendam a certos padrões de estabilidade, segurança e desempenho.

Em 2018, mais de três dezenas de líderes e especialistas da indústria enviaram uma carta a Rush, alertando sobre problemas potencialmente catastróficos decorrentes da abordagem tecnológica da OceanGate. O design experimental do Titan e o material de fibra de carbono usado em sua construção geraravam preocupações.

McCallum argumenta que ninguém deveria ter viajado no submersível Titan e que o incidente trágico poderia ter sido evitado se princípios de engenharia adequados tivessem sido seguidos.