Zelensky, Bolsonaro e a direita sul-americana: quem vai à posse de Milei

O ultradireitista Javier Milei tomará posse como presidente da Argentina amanhã (10), em cerimônia com a presença de autoridades de diferentes países. O presidente Lula, porém, não vai comparecer.

Quem vai e quem não vai

Lula enviará seu chanceler para representar o Brasil. O petista recusou o convite feito no último dia 26, quando a futura chanceler argentina, Diana Mondino, se reuniu em Brasília com o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira. Segundo informações do Planalto, Vieira estará na solenidade. Lula foi duramente criticado por Milei antes das eleições no país vizinho.

Outros esquerdistas da América do Sul não vão. O presidente da Colômbia, Gustavo Petro, foi convidado, mas não deve comparecer, designando algum representante (ainda não confirmado), assim como o presidente da Bolívia, Luis Arce, que não confirmou presença na posse do ultradireitista argentino.

Presidentes sul-americanos de direita estarão presentes. São os casos do uruguaio Luis Lacalle Pou, do paraguaio Santiago Peña e do equatoriano Daniel Noboa, que confirmaram a viagem a Buenos Aires. O chileno Gabriel Boric, de esquerda, também disse que vai.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, confirmou presença. Será a primeira vez que o ucraniano visita a América Latina desde que teve início a guerra com a Rússia, em 2022. Segundo a imprensa argentina, ele chegará em Buenos Aires na madrugada de domingo. O Clarín noticiou que haverá um forte esquema de segurança, com protocolo para a derrubada de aviões que sobrevoarem o espaço aéreo argentino sem autorização.

Mais autoridades europeias viajam à Argentina. Estão confirmados o primeiro-ministro da Hungria, o ultradireitista Viktor Orbán; o rei da Espanha, Felipe 6º; e o presidente da Armênia, Vahagn Khachaturyan.

Presença de extremista espanhol. O líder do partido Vox, de extrema-direita da Espanha, Santiago Abascal, confirmou presença.

Jair Bolsonaro

Bolsonaro já está em Buenos Aires e se encontrou com Milei ontem. A comitiva do ex-presidente do Brasil tem quase 50 pessoas — a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro participa da viagem.

Continua após a publicidade

Ele foi entrevistado pelo argentino Eduardo Feinmann, que o apoiou em 2018. O jornalista já se referiu ao brasileiro como um símbolo de que a "esquerda" estava fora do "tabuleiro político" da região. Ontem, o ex-presidente levou o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) para traduzir as respostas.

Trump e Biden

Donald Trump não confirmou presença. O ex-presidente dos Estados Unidos é um dos nomes aguardados por Milei, mas não indicou se viajará para a Argentina.

Joe Biden é ausência certa. O presidente dos EUA deve enviar o assessor especial para assuntos da América Latina, Juan González.

Como será a cerimônia de posse

Javier Miliei convocou seus apoiadores para o acompanharem no dia da posse e "celebrar a liberdade". Ele afirmou que faz questão de estar perto das pessoas e pediu para que a cerimônia ocorra próxima dos eleitores.

Continua após a publicidade

O evento está programado para começar às 11h no Congresso Nacional, onde Milei fará seu juramento como presidente. Em seguida, ele deve discursar ao público presente do lado de fora, para quem o presidente eleito prometeu uma "mensagem ao país". A cerimônia vai até as 20h, com celebrações na Casa Rosada, Catedral Metropolitana e Teatro Colon, além do Congresso.

Entrega da faixa presidencial por Alberto Fernández. Está previsto que o atual presidente entregue a faixa presidencial a Milei na Câmara dos Deputados — e não na Casa Rosada, sede do governo executivo, como tradicionalmente ocorre.

Cristina Kirchner conduzirá ritual político. A cerimônia, que terá transmissão pela TV e também pelas redes sociais oficiais da Câmara de Deputados, será presidida pela atual vice-presidente da Argentina. Ela também ocupa o cargo de presidente do Senado, o que a torna responsável pela missão.

O roteiro de Milei

Escolta oficial buscará Milei no Hotel Libertador, região central de Buenos Aires. O líder do Liberdade Avança está hospedado no local há mais de dois meses, numa mescla de casa e escritório de trabalho.

De lá, Milei seguirá para o Congresso e depois para a Catedral acompanhar uma missa. Em seguida, o novo presidente vai para a Casa Rosada, onde receberá presidentes de outros países e demais autoridades.

Continua após a publicidade

No fim da tarde, por volta das 17h, Milei fará um juramento na Casa Rosada. Está previsto um coquetel para convidados, e o encerramento será no teatro Colón, o mais importante e prestigiado da Argentina, onde o novo presidente e seus convidados acompanharão uma apresentação artística.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora