Conteúdo publicado há 1 mês

Suspeita de cólera põe 2 mil passageiros e mil tripulantes presos em navio

Mais de 3 mil pessoas, entre passageiros e tripulantes, ficaram presas a bordo de um navio de cruzeiro na costa das ilhas Maurício por suspeita de um surto de cólera a bordo, informaram as autoridades.

O que aconteceu

A decisão foi tomada após a autoridade portuária ter recolhido amostras de cerca de 15 passageiros que estavam isolados a bordo com vômito e diarreia.

O Norwegian Dawn chegou a Port Louis no sábado (24), informou a Autoridade Portuária das Ilhas Maurício, em comunicado. "A decisão de não permitir o acesso do navio de cruzeiro ao cais foi tomada para evitar quaisquer riscos para a saúde", dizia o texto.

A autoridade portuária disse que os resultados dos testes serão conhecidos em 48 horas. As operações de embarque e desembarque do navio estarão suspensas pelo menos até amanhã, caso os testes deem negativo para cólera.

A passageira Esther Verdaas, que está com a família no navio, informou que todos a bordo foram informados de que poderia haver um surto de cólera no navio. Ainda segundo ela, foi informado que as pessoas poderiam ficar em quarentena por até dez dias, se confirmado.

Ela informou que os funcionários borrifaram as dependências comuns do navio com bactericidas. Segundo ela, os passageiros foram instruídos a lavar as mãos mais vezes do que o habitual e a observar as normas de higiene.

Você pode imaginar que o ambiente entre os passageiros não é agradável. Os voos foram perdidos, as pessoas perderam dinheiro em hotéis reservados nas ilhas Maurício. Os passageiros estão zangados, rebeldes, tristes. Estes são problemas de luxo, claro. Mas muita coisa não está clara. Quando poderemos ir para casa? Como? Onde conseguimos as passagens?
Esther Verdaas, passageira do Norwegian Dawn

Deixe seu comentário

Só para assinantes