PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

OMM prevê entre 3 e 5 furacões de alta intensidade nesta temporada

01/06/2021 21h11

Genebra, 1 jun (EFE).- Com a chegada de junho, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) inicia oficialmente a temporada de furacões no Atlântico, na qual são esperados entre três e cinco fenômenos desse tipo de alta intensidade, segundo antecipou nesta terça-feira sua porta-voz, Clare Nullis.

Com base em dados da Administração Oceânica dos Estados Unidos, a OMM espera entre 13 e 20 tempestades tropicais na região nesta temporada (após um recorde de 30 em 2020), das quais entre seis e 10 podem se tornar furacões (com ventos superiores a 119 km/h) e metade destes alta intensidade, explicou a porta-voz.

O ano passado registrou um número excepcional de tempestades tropicais no Atlântico, com seis furacões de alta intensidade, e a América Central foi uma das áreas mais afetadas.

Os furacões Iota e Eta, que atingiram a América Central quase de forma consecutiva em novembro do ano passado, deixaram cerca de 200 mortos, dezenas de desaparecidos e milhares de deslocados.

"A América Central continua se recuperando depois de uma temporada de furacões devastadora, ainda mais complicada pelo Covid-19, e os gerentes de emergência temem que, se outra tempestade tropical atingir a região, isso terá consequências graves", destacou Nullis.

A porta-voz acrescentou que nesta temporada não são esperadas as flutuações climáticas derivadas dos fenômenos La Niña (que afetou o clima no ano passado, mas já terminou) e El Niño, que normalmente está associado a temperaturas mais altas.

"O ano de 2021 começou com temperaturas relativamente baixas, e isso pode dar uma falsa impressão de que as mudanças climáticas pararam, mas as concentrações de dióxido de carbono (o gás que causa as mudanças climáticas) permanecem em níveis recordes", alertou Nullis.

Meio Ambiente