PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Espanha pede ao G20 mais empenho no combate à crise climática

22/07/2021 17h24

Nápoles (Itália), 22 jul (EFE).- A terceira vice-presidente do Governo da Espanha e ministra da Transição Ecológica, Teresa Ribera, defendeu nesta quinta-feira em Nápoles, no sul da Itália, que os países do G20 assumam um compromisso claro e decisivo no combate à crise climática e na neutralidade do carbono até 2050.

Ribera viajou a Nápoles para participar nesta cúpula interministerial, uma vez que a Espanha é um país convidado permanente do G20, que este ano se realiza sob a presidência italiana.

Em declarações à Agência Efe, a vice-presidente espanhola criticou o fato que existam "países que se sentem relutantes ou tímidos" em detalhar "claramente e até uma determinada data, um objetivo específico" sobre, por exemplo, "como proteger o oceano ou a biodiversidade terrestre".

Ela disse que os avanços alcançados no passado em matéria de proteção ambiental sofreram "uma parada" em consequência da pandemia, que obrigou os países a concentrarem esforços em "aliviar a crise sanitária, social e econômica".

Teresa Ribera sublinhou que os ministros do Ambiente - que se reúnem hoje no G20 em Nápoles, enquanto amanhã será a vez dos ministros da Energia - deverão adotar ações concretas, porque "têm capacidade para investir, de fazer um esforço maior" para adicionar a outros países fora de seus pactos.

"A contribuição deles (do G20) para as emissões globais de gases de efeito estufa é importante o suficiente para que todos estejam conscientes de que, se não assumirem um compromisso claro com as emissões neutras, com a neutralidade climática até meados do século", será difícil respeitar o Acordo de Paris sobre mudanças climáticas.

Ela explicou que os ministros discutiram hoje temas como "finanças sustentáveis, verdes e azuis, que permitirão que os fluxos financeiros internacionais" favoreçam a recuperação da "natureza degradada" e guiem a "prosperidade e o crescimento compatíveis com os limites do planeta".

Também discutiram como combater a desertificação e a degradação do solo, como proteger a biodiversidade, como promover uma economia circular e como combater a poluição do plástico nos oceanos.

No seu discurso, a portas fechadas, a ministra ressaltou que a Espanha está totalmente empenhada no objetivo de garantir a proteção efetiva de pelo menos 30% da área marinha e terrestre até 2030 e disse que o G20 deve liderar a promoção deste objetivo, disseram fontes oficiais à Efe.

Teresa Ribera comemorou que o G20 está empenhado em cumprir o sexto ponto dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sobre a água, que afirma que para garantir o seu acesso universal a todos até 2030 é necessário fazer investimentos adequados em infraestrutura, prevê instalações sanitárias e promover práticas de higiene.

Ela encorajou outros ministros participantes a trabalhar para finalizar a estrutura de biodiversidade global pós-2020, que deverá estabelecer metas de biodiversidade ambiciosas e realistas para a próxima década, bem como abordar mais explicitamente a integração da biodiversidade em outras políticas setoriais.

Por fim, a ministra espanhola defendeu uma reforma financeira verde global, que conte com a plena participação do setor privado, incluindo o financeiro, para alcançar o desenvolvimento sustentável para as gerações atuais e futuras.

Meio Ambiente