PUBLICIDADE
Topo

Política

Decisão do STF de adiar depoimento de Cachoeira é inovadora, diz advogado de Demóstenes

Camila Campanerut

Do UOL, em Brasília

15/05/2012 10h22

O advogado do senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO), Antonio Carlos de Almeida, o Kakay, apoiou nesta terça-feira (15) a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de adiar o depoimento do bicheiro e empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, à CPI.

Ontem, o ministro do STF Celso de Mello atendeu a um pedido da defesa do bicheiro.

“A decisão do Celso de Mello foi inovadora até para evitar que a pessoa compareça a uma CPI e não fale nada”, afirmou o advogado em passagem no Senado Federal.

Kakay voltou a criticar as divergências entre os procedimentos adotados pela Polícia Federal e a Procuradoria Geral da República.

“A subprocuradora [da República], Claudia Sampaio, em 2009, quando recebeu o material da [operação] Vegas [da Polícia Federal] foi clara de que não havia nada contra Demóstenes. As declarações da PF mostram a absoluta comprovação de que ele era investigado desde 2009 pela Polícia Federal de Goiás e o Ministério Público de Goiás e isso burla a Constituição Federal”, afirma o advogado.

Kakay participará da reunião a portas fechadas do Conselho de Ética que recebe hoje os delegados da Polícia Federal, Raul Alexandre Marques Souza, responsável pela Operação Vegas, e Matheus Mella Rodrigues, da Operação Monte Carlo, que investigam as ações criminosas e a rede de atuação de Cachoeira.

Como defesa de uma das partes, Kakay pode ter acesso aos depoimentos secretos.

Política