Topo

Deputados goianos entram na Justiça para poder investigar contratos da Delta com prefeituras

Agência Brasil
CPI da Assembleia Legislativa de Goiás investiga as relações de Carlinhos Cachoeira (foto) com autoridades do Estado Imagem: Agência Brasil

Lourdes Souza

Do UOL, em Goiânia

2012-08-27T20:29:47

27/08/2012 20h29

Os integrantes da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga possíveis ligações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com autoridades de Goiás ingressaram com recurso no Tribunal de Justiça do Estado para suspender liminar que impede os deputados de apurarem os contratos da Delta Construções com as prefeituras de Aparecida de Goiânia e de Catalão. Os advogados da Procuradoria da Assembleia Legislativa protocolaram o documento nesta segunda-feira (27).

Na semana passada, os trabalhos da CPI da Assembleia Legislativa de Goiás foram suspensos após recebimento de um mandado de segurança impedindo a comissão de apurar supostas irregularidades referentes a contratos das prefeituras com a Delta Construções. A construtora é apontada pela Polícia Federal como braço financeiro do esquema do bicheiro.

O pedido para impedir a CPI de investigar as prefeituras foi registrado pelas câmaras municipais das duas cidades. A alegação acatada pelo desembargador Zacarias Neves Coelho foi que a assembleia não tinha competência para investigar contratos que não tiveram recursos estaduais.

As suspeitas surgiram com a Operação Monte Carlo, da PF, que culminou na prisão de Carlos Cachoeira em fevereiro deste ano sob acusação de operar um esquema de jogos ilegais e corrupção de agentes públicos.

Em maio, o MP-GO (Ministério Público de Goiás) pediu o afastamento do prefeito de Aparecida de Goiânia e candidato à reeleição, Maguito Vilela (PMDB), por irregularidades na contratação de veículos utilizados para a limpeza urbana com a empresa Delta Construções.

O MP-GO também chegou a recomendar a suspensão de contratos com a Delta para serviços de coleta de lixo, limpeza das ruas e a manutenção do aterro sanitário em Catalão, que também estariam sob suspeita.

Os deputados aguardam o parecer da Justiça para a retomada dos trabalhos. O presidente da CPI, deputado Hélio de Sousa (DEM) avalia que sem a possibilidade de investigar as relações daquelas administrações municipais com a Delta, o mais prudente foi a suspensão dos trabalhos.

Mais Política