PUBLICIDADE
Topo

Kassab assume ministério e reafirma apoio do PSD ao governo Dilma

Bruna Borges

Do UOL, em Brasília

05/01/2015 12h58Atualizada em 05/01/2015 18h10

O novo ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), afirmou nesta segunda-feira (5) que seu partido apoiará o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff (PT). A declaração foi feita durante a cerimônia de transmissão de cargo, em Brasília. "A presidente sabe que terá nosso apoio, o apoio do nosso partido, o PSD, nessa luta, que é de todos que querem um país melhor", disse.

Kassab foi nomeado para o ministério em retribuição ao apoio do PSD à reeleição da presidente. Ele assume o lugar de Gilberto Occhi, que ocupava vaga do PP na Esplanada dos Ministérios e que foi realocado para o comando do Ministério da Integração Nacional.

"Apoiar, para o PSD, é participar ativamente do PAC 3, com investimentos em logística, energia, infraestrutura, parcerias privadas. É seguir apoiando a terceira fase do Minha Casa, Minha Vida, e lutar para concretizar a carteira de R$ 143 bilhões para obras de mobilidade urbana para todo o Brasil É nas cidades que apoiaremos, sim, a contratação de mais de 3 milhões de novas moradias também anunciadas pela presidente”, declarou.

No final do ano passado, a cúpula do PSD  se reuniu com a petista no Palácio do Planalto em evento aberto para endossar o apoio ao segundo mandato. Na ocasião, Kassab afirmou que seu partido contribuiria para o êxito do governo no segundo mandato de Dilma.

Segundo Kassab, uma das prioridades de sua pasta é área de habitação e mencionou que o governo irá contratar mais três milhões moradias pelo programa Minha Casa, Minha Vida.

O novo ministro evitou comentar sobre possíveis cortes no ministério. “Quem definirá sobre cortes em programas do governo é a presidente. O que eu disse é que por mais que possamos ter cortes, existem prioridades no governo muito bem definidas pela presidente. Nós vamos fazer nossa parte, com os recursos definidos nós vamos tentar ter o máximo de eficiência possível”, afirmou Kassab.

“Esse é o mesmo governo, portanto nós não chegamos ao ministério com a missão de mudar tudo. Mas é evidente que acontecerão as mudanças rotineiras de qualquer início de governo. Vamos procurar colocar pessoas técnicas para que possam desenvolver o seu trabalho”, disse.

Em seu discurso de posse, Kassab prometeu ainda comandar o ministério em parceria com a CGU (Controladoria-Geral da União) e o TCU (Tribunal de Contas da União).

Questionado sobre a articulação de um novo partido, Kassab afirmou que está licenciado da presidência do PSD e que não poderia comentar o assunto. "Eu não articulo nada. A partir de hoje eu sou ministro das Cidades e essa é minha função."

Política