Desaprovação ao governo Temer é maior no Nordeste, diz Ibope

Felipe Amorim

Do UOL, em Brasília

A desaprovação ao governo de Michel Temer é maior na região Nordeste do país, segundo pesquisa Ibope encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e divulgada nesta sexta-feira (1º) .

Na região, 44% avaliaram o governo interino como ruim ou péssimo, diferença acima da margem de erro de dois pontos percentuais quando comparada com a rejeição nas outras regiões do país. No Norte/Centro-Oeste (a pesquisa agrupa as duas regiões) a desaprovação foi de 35%; no Sudeste, 35%; e no Sul, 39%.

Já a aprovação varia em patamares próximos entre as regiões: Nordeste (11%), Norte/Centro-Oeste (16%), Sudeste (13%) e Sul (12%).

No país todo, a pesquisa apontou que 13% dos entrevistados avaliam o governo como ótimo ou bom, 39% avaliam como ruim ou péssimo e 36% acham que ele é regular. Entre os ouvidos, 13% não soube ou não quis responder.

Foram ouvidas 2.002 pessoas em 141 municípios. O grau de confiança da pesquisa é de 95%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O levantamento foi feito de 24 a 27 de junho.

Esta foi a primeira pesquisa CNI/Ibope realizada após o afastamento da presidente Dilma Rousseff, em 12 de maio.

A última pesquisa CNI/Ibope foi divulgada em março, quando a presidente afastada, Dilma Rousseff, ainda estava à frente da Presidência. O levantamento apontou que 69% dos brasileiros reprovavam (consideravam ruim ou péssimo) o governo da petista, enquanto 10% o aprovavam (ótimo ou bom). 

O gerente-executivo da Unidade de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, avalia que a maior rejeição ao governo Temer no Nordeste é reflexo de Dilma ter historicamente um apoio político maior na região.

"No Nordeste é onde Dilma tinha maior aprovação. Aqueles eleitores continuam aprovando e se se consideram contra o impeachment, numa pesquisa ele [entrevistado] é contra o governo que entrou", diz Fonseca.

Segundo o Ibope, a soma dos percentuais pode não igualar 100% por causa dos arredondamentos.

Pobres x ricos

Considerando as respostas em todo o país, o governo Temer apresentou maior aprovação entre os mais ricos e maior rejeição entre os mais pobres.

No recorte da pesquisa por renda, a aprovação tem seu maior índice entre as pessoas que ganham mais que cinco salários mínimos: 18% avaliaram a gestão interina como ótima ou boa.

O maior índice de desaprovação está entre os que recebem até um salário mínimo: 42% avaliaram o governo como ruim ou péssimo.

Receba notícias de política pelo Whatsapp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? 1) adicione este número à agenda do seu telefone: +55 11 97258-8073 (não esqueça do "+55"); 2) envie uma mensagem para este número por WhatsApp, escrevendo só: brasil3000.

Aprovação a Dilma no Nordeste explica rejeição a Temer, diz gerente da CNI

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos