PUBLICIDADE
Topo

Política

Aécio envia ao STF fotos como motoqueiro para contestar diálogo sobre delação

A primeira foto (à esq.) é um registro de 24 de setembro de 2006. A data coincide com a época em que Aécio era governador de Minas Gerais - Divulgação
A primeira foto (à esq.) é um registro de 24 de setembro de 2006. A data coincide com a época em que Aécio era governador de Minas Gerais Imagem: Divulgação

Daniela Garcia

Do UOL, em São Paulo*

30/05/2017 20h27Atualizada em 02/06/2017 14h46

Fotos do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) vestido de motoqueiro foram enviadas ao STF (Supremo Tribunal Federal) para defendê-lo da acusação de manter um diálogo cifrado interceptado pela Polícia Federal em 29 de abril deste ano. 

Durante as investigações da Operação Patmos, a PF interceptou ligações telefônicas entre Aécio e um homem que a polícia diz acreditar que seja o empresário Alexandre Acciolly. Procurado pelo UOL, Acciolly disse não ser o interlocutor na conversa gravada, ocorrida em 29 de abril, mas confirmou ter falado com o político no dia seguinte -- momento que também foi gravado pela polícia.

Na ligação que trata de "passeio de moto" e "motoqueiros malucos", Aécio conversa com um interlocutor a quem chama de "Moreno". "Contudo o interlocutor também referência (sic) AÉCIO NEVES como 'MORENO'”, lê-se no relatório da PF.

Segundo as investigações, Aécio chama a atenção de seu interlocutor às notícias publicadas pelo jornal "O Estado de S. Paulo" no dia 29 de abril. De acordo com a reportagem, executivos da empreiteira Andrade Gutierrez teriam se adiantado a uma convocação do MPF (Ministério Público Federal) para explicar as suspeitas de pagamento de propina referente às obras da usina hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia. 

Para a PF, o tucano usou as expressões "motoqueiros malucos" em alusão aos “delatores” e “passeio de moto” para a delação.

Aécio Neves: Deixa eu te falar, cara. Não sei se vai ser simples...

Moreno: Unhum

Aécio Neves: Naquela organização que a gente ia fazer em julho.

Moreno: Unhum.

Aécio Neves: É. Porque... você viu nos jornais hoje?

Moreno: Mais ou menos. Uma parte sim, outras... algumas outras coisas aí.

Aécio Neves: É não. É não. Tem uns negócios listados que o cara ia ser o guia, sabe? [inaudível]

Moreno: Unhum. Sei.

Aécio: Procurou para... pra fazer o roteiro, entendeu? Ainda...

Moreno: Tá.

Aécio Neves: E eu tô sem nenhuma...sabe... informação que, que por conta daquelas coisas, daqueles malucos lá, sabe?

Moreno: Unhum.

Aécio Neves: Aqueles motoqueiros malucos que falaram qualquer coisa. Em vez de chamar, eles resolveram se antecipar, sabe?

Defesa apresenta foto de 2006

Com as fotos de Aécio vestido de motociclista, a defesa argumenta que não há nada de "mascarado" no diálogo. O senador afastado, segundo os advogados, conversava com um amigo do mesmo grupo de motoqueiros. "Cumpre esclarecer que a pessoa de alcunha MORENO é EDUARDO VANDERLEI, amigo do Agravado e membro de um grupo de motociclistas do qual o Senador AÉCIO faz parte, conforme fotos anexas", diz trecho da petição da defesa ao STF. 

As quatro imagens foram anexadas como "documentos comprobatórios" ao processo de investigação contra Aécio. O tucano foi afastado do cargo de senador depois de virar alvo de inquérito por suspeita de ter recebido propina da JBS. 

30.mai.2017 - Outro foto anexada pela defesa de Aécio no STF - Divulgação - Divulgação
Outra foto anexada pela defesa de Aécio no STF
Imagem: Divulgação

Entre os registros, há uma fotografia de 24 de setembro de 2006, quando Aécio atuava como governador de Minas Gerais.

Os advogados de Aécio argumentam que caso o STF acolha a interpretação do relatório da PF, não há evidências, contudo, que comprovem a tentativa do tucano de obstruir a Justiça.

"A conclusão de que estaria 'visando, evidentemente, a evitar que os fatos na sua extensão devida sejam trazidos ao conhecimento do Ministério Público Federal' (fls. 212), é fruto de puro achismo ministerial, com todo o respeito", disse a defesa no texto.

*Colaborou Felipe Amorim, do UOL em Brasília

Aécio diz que não ganhou dinheiro com a política

UOL Notícias

Política