PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro se compromete a migrar para "Patriota" para disputar Presidência em 2018

Jair Bolsonaro posa com integrantes do PEN, futuro Patriota - Divulgação/Patriota
Jair Bolsonaro posa com integrantes do PEN, futuro Patriota Imagem: Divulgação/Patriota

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

23/11/2017 13h27Atualizada em 23/11/2017 14h45

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) se comprometeu nesta quinta-feira (23) a migrar para o PEN – que mudará o nome para Patriota – com o objetivo de disputar a Presidência da República na eleição de 2018. Ele assinou ficha do PEN acordando se filiar em definitivo à sigla em 10 de março. O ato aconteceu no gabinete do deputado em Brasília pela manhã.

Estiveram presentes o presidente nacional do “Patriota”, Adilson Barroso, e integrantes da Executiva da legenda.

A janela de transferência partidária permite que parlamentares troquem de partido somente a partir de março do ano que vem sem que percam o mandato atual. Caso se filiasse imediatamente ao “Patriota”, o PSC poderia pleitear o mandato de Bolsonaro na Justiça Eleitoral sob a alegação de infidelidade.

Jair Bolsonaro aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de votos para as eleições 2018 e já aparece como presidenciável em propagandas partidárias do “Patriota”. O partido passou a adotar o slogan “Brasil acima de todos” a pedido do deputado.

A mudança no nome e no slogan, inclusive, já causa divergência entre o presidente de um partido em processo de formação desde 2015, "Patriotas", no plural. O presidente do da sigla, Coronel Castro, acusa Bolsonaro e Barroso de "roubo de nome, estelionato político e atitude usurpadora".

Política