PUBLICIDADE
Topo

Política

Após TSE barrar, Romário diz que nunca pensou em reeleição no meio do mandato

Marcos Oliveira/Agência Senado
Imagem: Marcos Oliveira/Agência Senado

Do UOL, em Brasília

25/04/2018 13h25

Após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) barrar a possibilidade de senadores concorrerem à reeleição no meio do mandato, o senador Romário (Pode-RJ) afirmou nesta quarta-feira (25) que nunca pensou em concorrer à reeleição este ano e que é pré-candidato a governador.

A decisão do TSE foi motivada por uma consulta de Romário à Justiça Eleitoral. O senador questionou o tribunal sobre a possibilidade de um senador renunciar ao cargo e concorrer à reeleição, mesmo sem ter cumprido os oito anos do mandato.

A resposta foi uma negativa unânime pelos sete ministros do TSE.

Em publicação no seu perfil numa rede social, Romário, que está na metade do mandato, afirmou que “nunca” pretendeu tentar a reeleição ao Senado este ano.

"Diferente do que a imprensa vem dando, de forma mentirosa e leviana, nunca pretendi me candidatar ao Senado em 2018”, disse.

Segundo o senador, sua intenção ao fazer a consulta ao TSE foi a de coibir a prática, que ele diz já ter tido ao menos dois precedentes em eleições anteriores.

“Meu objetivo era apresentar um projeto de lei que proibisse, de forma explícita, casos como esse. Infelizmente, projetos de lei costumam demorar muito em sua tramitação. Uma manifestação do TSE seria mais rápida e teria validade já para esta eleição”, afirmou o senador.

“Assim como o ministro [do TSE, Luís Roberto] Barroso, que se manifestou na consulta, eu acho uma fraude abandonar um mandato no meio para concorrer ao mesmo cargo”, concluiu Romário. 

Romário também criticou a repercussão que o caso teve na imprensa, citando "fake news" (notícias faslas). "Minha intenção sempre foi acabar com a brecha na legislação e não concorrer", disse. "É ano eleitoral e infelizmente qualquer notícia vira arma pra ganhar audiência, mesmo que pra isso tenham que torcer a verdade. Fake news aqui não", afirmou.

Política