PUBLICIDADE
Topo

Política

Investigação sobre ministro do Turismo deve ser em 1ª instância, opina PGR

Marcelo Alvaro Antonio (PR-MG), candidato a prefeito de Belo Horizonte - Divulgação
Marcelo Alvaro Antonio (PR-MG), candidato a prefeito de Belo Horizonte Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

26/02/2019 14h16

Em manifestação enviada hoje ao Supremo Tribunal Federal, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, opinou que a investigação envolvendo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL) deve ser feita em primeira instância. 

Em 15 de fevereiro, político acionou o STF questionando a competência do Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais para apurar um esquema de candidaturas laranjas do PSL em Minas Gerais no ano passado. O ministro era então deputado federal e presidente do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, no Estado.

Raquel Dodge não viu respaldo legal na reclamação da defesa do ministro. Os advogados disseram que os fatos investigados foram praticados no ano passado, enquanto o ministro era deputado federal. 

No parecer, a procuradora-geral explica que a investigação é decorrente de representação feita ao Ministério Público Eleitoral denunciando a criação de candidaturas "laranjas" enquanto Marcelo era presidente do PSL mineiro.

Raquel Dodge destaca informações publicadas em reportagens jornalísticas que atribuem a uma das supostas candidatas fantasmas relatos de que foi pressionada por assessores do ministro - então candidato - a devolver parte dos R$ 60 mil recebidos para financiar a campanha.

'Decisão de advogados', disse ministro

Em entrevista ao SBT ontem, o ministro afirmou que o pedido ao STF para interromper a investigação não partiu dele, mas de seus advogados. Assista:

Política