Topo

Witzel põe em currículo curso em Harvard, mas nunca estudou na universidade

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC) - Tomaz Silva/Agência Brasil
O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC) Imagem: Tomaz Silva/Agência Brasil

Igor Mello e Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

22/05/2019 16h21Atualizada em 22/05/2019 20h15

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), declarou em seu currículo acadêmico cursar doutorado em Ciência Política na UFF (Universidade Federal Fluminense), com parte dos estudos na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Entretanto, ele nunca estudou na instituição norte-americana e sequer postulou a intenção de estudar no exterior.

A informação foi publicada pelo jornal "O Globo" e confirmada pelo UOL. Witzel é aluno de doutorado do PPGCP (Programa de Pós-Graduação em Ciência Política) da UFF. Em seu currículo na plataforma Lattes --site mantido pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) onde pesquisadores e estudantes registram suas atividades acadêmicas--, o governador declarou ter iniciado em 2015 o doutorado em Ciência Política na UFF "com período sanduíche em Harvard University".

22.mai.2019 - Wilson Witzel incluiu em seu currículo Lattes doutorado sanduíche em Harvard que nunca fez - Reprodução
22.mai.2019 - Wilson Witzel incluiu em seu currículo Lattes doutorado sanduíche em Harvard que nunca fez
Imagem: Reprodução

No jargão acadêmico, sanduíche é a modalidade de doutorado cursado em parte em uma instituição de ensino do exterior. Witzel declara ter como orientador em Harvard o professor Mark Tushnet. O curso seria focado em judicialização da política.

Entretanto, segundo a UFF, Witzel nunca postulou o ingresso na modalidade sanduíche. A universidade confirma que ele deu início ao doutorado em março de 2015. No período, dois alunos do programa foram enviados para universidades estrangeiras nessa modalidade, de acordo com a UFF.

Conforme a plataforma Lattes, a última atualização de informações no currículo acadêmico de Witzel foi feita em 8 de abril de 2016, quando ele ainda era juiz federal.

A UFF informa que os alunos têm quatro anos, a partir do início do curso, para concluir as disciplinas do doutorado e apresentar sua tese --última etapa para a obtenção do título de doutor.

O governador concluiu as disciplinas, mas ainda não submeteu seu trabalho a uma banca. Por isso, obteve, no fim de fevereiro, uma prorrogação de seis meses no prazo para a conclusão do curso. A ampliação do prazo é prevista em regimento e pode ser requerida por todos os estudantes.

Caso não apresente a tese até 31 de agosto deste ano, o governador pode ser jubilado, ou seja, ser excluído dos quadros da universidade sem direito ao título de doutor.

Não há erro em currículo de Witzel, diz governo

Por telefone, a assessoria de Witzel afirmou que as informações que constam no currículo Lattes do governador datam de 2015. Àquela altura, o doutorado sanduíche em Harvard faria parte do projeto de pesquisa de Witzel e, por isso, é citado em seu currículo acadêmico, diz a assessoria.

No entanto, o ex-juiz federal teria mudado de planos ao se desligar da magistratura em 2017 e ser eleito governador do estado no ano passado, segundo sua equipe de comunicação.

A assessoria confirma que Witzel não cursou parte do programa em Harvard e que não pleiteou uma bolsa sanduíche. No entanto, nega que o governador tenha mentido. "O que faltou foi uma atualização", disse um assessor.

O governo informou que o governador fluminense está em fase de conclusão da sua tese e pretende apresentar a sua pesquisa à banca da UFF em agosto.

Após a publicação desta reportagem, o governo informou por meio de nota que "não há erro no Currículo Lattes do governador Wilson Witzel".

Mais Política