PUBLICIDADE
Topo

Presidência cancela viagem de Bolsonaro por 'risco', mas recua em 25 min

 O presidente Jair Bolsonaro - Pedro Ladeira - 29.mai.2019/Folhapress
O presidente Jair Bolsonaro Imagem: Pedro Ladeira - 29.mai.2019/Folhapress

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

04/06/2019 18h53

A Presidência da República anunciou o cancelamento de viagem do presidente Jair Bolsonaro (PSL) a Aragarças, Goiás, programada para amanhã (5), e 25 minutos voltou atrás.

Em pronunciamento a jornalistas hoje à noite, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou que a ida de Bolsonaro estava cancelada devido à "análise de risco" do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), responsável pela segurança presidencial.

Questionado sobre detalhes de quais seriam os riscos, Rêgo Barros, disse serem de caráter reservado e que não poderia se aprofundar. Cerca de 25 minutos depois, um assessor pediu licença para interromper a conversa com a imprensa e, reservadamente, falou para Rêgo Barros que a viagem estava mantida.

A visita de Bolsonaro a Aragarças se dá em meio ao lançamento de um programa para recuperação de áreas de preservação do rio Araguaia, em Goiás. Nesta quarta-feira, se comemora Dia Mundial do Meio Ambiente.

Já sobre o motivo da mudança repentina de informação, Rêgo Barros afirmou que as análises de risco são contínuas e a primeira avaliação realizada pelo Escav (Escalão Avançado) apontava algum risco. Agora, disse, os riscos podem ter sido "debelados" ou "diminuídos".

Usualmente, uma equipe formada por integrantes do GSI e do gabinete presidencial fazem uma inspeção na cidade a ser visitada por Bolsonaro para avaliar a trajetória do presidente e eventuais riscos à sua segurança. Possibilidade de manifestações e bloqueios no trânsito, por exemplo, são levados em consideração.

Um assessor da Presidência também informou ao UOL que, além da avaliação do GSI, a viagem seria cancelada pelo fato de a agenda de Bolsonaro já conter muitos compromissos.

Na quinta (6), o presidente viaja à Argentina para visita oficial ao mandatário do país vizinho, Mauricio Macri. Na sexta (7), participará de evento no Rio de Janeiro com o comando da Marinha do Brasil.

Governo Bolsonaro