Topo

Ministro Ricardo Salles diz que ajuda do G7 para Amazônia é "bem-vinda"

Lucas Seixas/UOL
Imagem: Lucas Seixas/UOL

Ana Carla Bermúdez

Do UOL, em São Paulo

26/08/2019 12h44

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, elogiou hoje a iniciativa do G7 de destinar 20 milhões de euros para o combate de queimadas na Amazônia. Segundo ele, a ajuda é "bem-vinda".

"Acho uma excelente medida, é muito bem-vinda", disse Salles a jornalistas após participar da abertura de uma convenção do Secovi-SP, sindicato da habitação de São Paulo.

O ministro, no entanto, disse que os líderes do G7 também devem trabalhar para liberar um crédito que o Brasil tem para receber por sua participação no protocolo de Kyoto. O valor, segundo ele, seria de cerca de 2,5 bilhões de dólares.

"Essa é uma medida que nós instigamos, pedimos para que os países desenvolvidos, inclusive do G7, nos ajudem finalmente a quitar essa fatura do protocolo de Kyoto, esse crédito que o Brasil tem de 2,5 bilhões de dólares e que seria também muito bem-vindo para nós", afirmou.

Sobre a condição de o Brasil trabalhar com ONGs para receber uma assistência de médio prazo para reflorestamento da região, o ministro disse que "quem vai decidir como usar recursos para o Brasil é o povo e o governo brasileiro". "De qualquer forma, a ajuda é sempre bem-vinda", repetiu.

O ministro fez ainda uma série de elogios ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e destacou a autorização do presidente para que as Forças Armadas atuem no combate às queimadas na Amazônia. A medida foi publicada em forma de GLO (Garantia da Lei da Ordem) na sexta-feira (23).

"É um grande esforço capitaneado pelo presidente Jair Bolsonaro para combater as ilegalidades, os crimes praticados, e por outro lado também resolver esse problema urgente das queimadas", disse.

Política