Topo

Funcionários encontram escorpiões dentro do Senado Federal

O escorpião amarelo, cujo nome científico é Tityus serrulatus, é a que possui maior dificuldade de controle, segundo a Casa - Hanrrikson de Andrade/UOL
O escorpião amarelo, cujo nome científico é Tityus serrulatus, é a que possui maior dificuldade de controle, segundo a Casa Imagem: Hanrrikson de Andrade/UOL

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

22/11/2019 12h00

Funcionários do setor de limpeza encontraram ontem três escorpiões vivos dentro das instalações do Senado Federal, em Brasília. Os aracnídeos foram localizados em pontos diferentes no subsolo da ala Alexandre Costa, no anexo 2, onde há obras de manutenção de elevadores.

Segundo a assessoria do Parlamento, "nenhum animal foi encontrado no interior de gabinete ou comissões".

A espécie localizada é o escorpião amarelo — Tityus serrulatus — e, segundo comunicado oficial da Casa, é "a que possui maior dificuldade de controle".

O Senado negou que haja uma infestação de escorpiões dentro de suas dependências e informou que a equipe de infraestrutura está "adotando medidas para estabelecer barreiras físicas, a melhor estratégia de controle, sobretudo nas áreas em obras".

"Em outra frente, adotou-se medidas para dedetização da área de forma a eliminar eventual presença de insetos e baratas, potenciais alimentos dos escorpiões."

Imagens com os três escorpiões em uma garrafa pet foram compartilhadas hoje entre os funcionários do Senado. Após a captura, eles fizeram uma brincadeira e afixaram a mensagem "Meliante preso em flagrante" no recipiente.

A Casa também esclareceu que o controle químico de escorpiões por meio do uso de inseticidas em habitações humanas "não é uma estratégia recomendável". Para embasar a afirmação, a assessoria cita o Boletim Informativo da Vigilância Ambiental do Distrito Federal.

Política