PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Deputado Marco Feliciano diz que expulsão do Podemos é "motivo de orgulho"

Marco Feliciano - Reprodução
Marco Feliciano
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

06/01/2020 19h12Atualizada em 06/01/2020 21h19

O deputado federal Marco Feliciano disse, na tarde de hoje, que sua expulsão do Podemos é vista por ele como "motivo de orgulho".

Feliciano foi expulso por decisão da direção estadual do partido em São Paulo no dia 9 de dezembro. A decisão foi tomada citando diversos motivos, entre eles os gastos de R$ 157 mil referentes a um tratamento odontológico reembolsados pela Câmara, caso revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Em comunicado divulgado hoje, Feliciano diz que a sua expulsão ocorreu por "infidelidade partidária" e "por fazer campanha para o presidente Jair Bolsonaro"

"Qualquer outro motivo é fakenews", defende-se.

Na nota, Feliciano ataca ainda outros dois políticos do mesmo partido, Covas Neto e Álvaro Dias, que, segundo ele, "só pensam em seus projetos pessoais e eleitoreiros".

"Covas Neto transformou o Podemos de SP em um puxadinho do PSDB a serviço da candidatura do sobrinho. Já Álvaro Dias (que saiu anão da eleição presidencial com menos de 1% dos votos), age como o PT e aposta no quanto pior melhor", afirma.

Ele encerra o comunicado dizendo que "para mim é motivo de orgulho ser expulso do Podemos por defender o presidente Bolsonaro, que está mudando o Brasil para melhor".

A expulsão foi efetivada na tarde de hoje em reunião na capital paulista. A presidente nacional do Podemos, Renata Abreu (SP), defendeu que os motivos da expulsão fossem alterados após ter sido surpreendida pela extensão da decisão tomada pela direção estadual, comandada pelo vereador Mario Covas Neto.

Eleito inicialmente para deputado federal pelo Partido Social Cristão (PSC-SP), com mais de 211 mil votos em 2010, Marco Antônio Feliciano estava no Podemos desde 2018.

Leia a nota na íntegra:

  • Fui expulso por infidelidade partidária, por fazer campanha para o presidente Bolsonaro em 2018. Qualquer outro motivo é fakenews. Basta ler o ato de expulsão que, literalmente, afastou qualquer alegação de conduta inadequada em meu mandato.
  • A Executiva Nacional do Podemos me procurou e externaram que não queriam minha saída. Inclusive o presidente estadual do PODEMOS, vereador Covas Neto, foi repreendido pela Executiva Nacional e pediu afastamento da presidência. Em resposta, disse que não havia mais clima para minha presença no partido, sendo todo dia atacado ora por Álvaro Dias, ora por Covas Neto.
  • Covas Neto e Álvaro Dias só pensam em seus projetos pessoais e eleitoreiros, em detrimento dos interesses do Brasil e de São Paulo. Covas Neto transformou o Podemos de SP em um puxadinho do PSDB a serviço da candidatura do sobrinho. Já Álvaro Dias (que saiu anão da eleição presidencial com menos de 1% dos votos), age como o PT e aposta no quanto pior melhor. Ao invés de ajudar um Governo que não tem escândalo de corrupção e está tirando o Brasil do atoleiro, só pensa em ser presidente da República.
  • Por fim, reafirmo aqui que para mim é motivo de orgulho ser expulso do Podemos por defender o presidente Bolsonaro, que está mudando o Brasil para melhor.

Política