PUBLICIDADE
Topo

Feliciano: Ser expulso do partido por apoiar Bolsonaro é motivo de orgulho

10.jul.2019 - O presidente Jair Bolsonaro ao lado do deputado federal Marco Feliciano - Evaristo Sá/AFP
10.jul.2019 - O presidente Jair Bolsonaro ao lado do deputado federal Marco Feliciano Imagem: Evaristo Sá/AFP

Do UOL, em São Paulo

10/12/2019 09h12

O deputado Federal Marco Feliciano (sem partido-SP) se manifestou hoje nas redes sociais sobre a sua expulsão do Podemos, confirmada ontem pelo diretório do partido em São Paulo.

"Ser expulso de um partido por apoiar o presidente Bolsonaro é, para mim, motivo de orgulho. Mario Covas Neto [presidente estadual do Podemos] ficou com medo de eu ser candidato a prefeito de São Paulo e me expulsou, pois colocou o Podemos a reboque dos interesses de seu parente Bruno Covas [PSDB, prefeito de São Paulo]", escreveu Feliciano no Twitter.

O Podemos citou aspectos da conduta "ética e moral" de Feliciano para embasar a decisão de expulsá-lo, de acordo com um documento elaborado pelo partido.

De acordo com o documento assinado por Covas Neto, Feliciano não teve o "espírito partidário inerente e necessário". O texto diz que o "Conselho de Ética e Disciplina opinou pela imposição da penalidade de expulsão".

O documento também cita a utilização de "recursos públicos para fins particulares" por parte de Feliciano, fazendo menção a um caso específico em que o deputado utilizou verba pública para pagar um tratamento dentário.

Após a publicação sobre sua manifestação no Twitter, a assessoria de Feliciano divulgou uma nota. Nela, afirma que "se tratou de um processo de exceção", no qual o deputado não foi intimado a se defender.

O deputado diz ainda que os motivos citados pelo Podemos para expulsá-lo são "mentirosos". "Se fossem verdade, teriam que expulsar quase todos os deputados federais, pois, como eu, pediram à Câmara ressarcimento de gastos em saúde", diz o texto.

Feliciano nega ter cometido "qualquer irregularidade" em sua vida pública.

Leia a íntegra da manifestação do deputado federal:

Em relação à minha expulsão do Podemos, assim me manifesto:

1 - Ser expulso de um partido por apoiar o presidente Bolsonaro é para mim motivo de orgulho. Por isso aceito a decisão.

2 - Contudo, saliento que se tratou de um processo de exceção, onde sequer fui intimado a me defender.

3 - Os motivos elencados pelo partido para me expulsar são todos mentirosos. Afinal, se fossem verdade, teriam que expulsar quase todos os deputados federais, pois como eu pediram à Câmara ressarcimento de gastos em saúde.

4 - Nesse sentido, afirmo que jamais cometi qualquer irregularidade na minha vida pública, e quem disser ao contrário será devidamente processado civil e criminalmente.

5 - Por fim, deixo claro que tudo isso é uma trama do presidente estadual do Podemos, Mário Covas Neto, que colocou o partido a reboque dos interesses de seu parente Bruno Covas.

Ouça o podcast Baixo Clero, com análises políticas de blogueiros do UOL. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política