PUBLICIDADE
Topo

Santos Cruz abre dissidência no Exército contra convocação de Heleno

O ex-ministro da Secretaria de Governo Carlos Alberto Santos Cruz - Pedro Ladeira/Folhapress
O ex-ministro da Secretaria de Governo Carlos Alberto Santos Cruz Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Do UOL, em Brasília

24/02/2020 21h37

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, abriu uma dissidência contra seu antigo colega do Palácio do Planalto no governo Bolsonaro, o atual chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno.

Santos Cruz publicou hoje no Twitter um post em que classifica como uma "irresponsabilidade" chamar as pessoas às ruas para protestar contra o Congresso.

O chamamento foi feito pelo general Heleno. Ocorreu no último dia 18, durante uma reunião no Palácio do Planalto com o presidente da República, em que se discutia a negociação com deputados e senadores para a aprovação do Orçamento de 2020.

Os parlamentares cobram o cumprimento pelo governo de suas emendas ao Orçamento de maneira impositiva. O Planalto, por sua vez, quer liberdade para decidir onde aplica os recursos da União.

Heleno disse, na reunião, que o governo não pode ceder às chantagens dos parlamentares e que Bolsonaro deveria convocar o povo para protestar.

Em resposta, aliados do presidente marcaram nas redes sociais uma manifestação para o dia 15 de março.

No Twitter, Santos Cruz abriu o verbo. Declarou que "confundir o Exército com alguns assuntos temporários de governo, partidos políticos e pessoas é usar de má fé, mentir, enganar a população. Veja o tuíte do general:

Até agora ninguém no Exército havia se declarado publicamente e de maneira tão enfática contra o gesto do general Heleno. Além de provocar os políticos, o chefe da GSI tornou-se pivô da primeira divergência pública entre militares de alta patente no governo Bolsonaro.

Política