PUBLICIDADE
Topo

Alcolumbre critica fala de Bolsonaro e pede união contra coronavírus

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), criticou pronunciamento de Bolsonaro - Waldemir Barreto/Agência Senado
Presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), criticou pronunciamento de Bolsonaro Imagem: Waldemir Barreto/Agência Senado

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/03/2020 21h47

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, criticou o pronunciamento de Jair Bolsonaro na noite de hoje. Em nota assinada também pelo vice Antônio Anastasia, o comando da Casa considerou como "grave a posição externada pelo presidente da República hoje, em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção à covid-19".

A nota ainda afirmou que "não é momento de ataque à imprensa e a outros gestores públicos. É momento de união, de serenidade e equilíbrio, de ouvir os técnicos e profissionais da área para que sejam adotadas as precauções e cautelas necessárias para o controle da situação, antes que seja tarde demais".

Alcolumbre disse que o Brasil "precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população". Na fala de hoje, transmitida em rede nacional, o presidente Jair Bolsonaro voltou a se referir à covid-19 como "gripezinha ou resfriadinho", além de criticar governadores que determinaram quarentena em seus estados.

Ele ainda questionou o fechamento de escolas. "O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar, empregos devem ser mantidos, o sustento das famílias deve ser preservado, devemos, sim, voltar a normalidade", disse. Durante os pouco mais de cinco minutos de fala do presidente, vários panelaços contra ele foram realizados em cidades brasileiras.

Veja a íntegra da nota:

Neste momento grave, o País precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje, em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção ao Covid-19. Posição que está na contramão das ações adotadas em outros países e sugeridas pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS).

Reafirmamos e insistimos: não é momento de ataque à imprensa e a outros gestores públicos. É momento de união, de serenidade e equilíbrio, de ouvir os técnicos e profissionais da área para que sejam adotadas as precauções e cautelas necessárias para o controle da situação, antes que seja tarde demais.

A Nação espera do líder do Executivo, mais do que nunca, transparência, seriedade e responsabilidade. O Congresso continuará atuante e atento para colaborar no que for necessário para a superação desta crise.

Davi Alcolumbre
Presidente do Senado
Antônio Anastasia
Vice-presidente do Senado

Coronavírus