PUBLICIDADE
Topo

Maia elogia partidos que votaram sem olhar para a ideologia de Bolsonaro

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados - ADRIANO MACHADO
Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados Imagem: ADRIANO MACHADO

Do UOL, em São Paulo

03/04/2020 22h52

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), elogiou hoje, após a aprovação da PEC de Orçamento da Guerra, principalmente os partidos de esquerda que votaram a favor apesar das diferenças ideológicas com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"Nós estamos dando as condições para que o governo gaste 10% do PIB, R$ 600 bilhões ou R$ 700 bilhões. Eu agradeço a todos os líderes, de todos os partidos. Acredito muito aos líderes de esquerda que não olharam para a filiação partidária e nem a ideologia do presidente da República", disse Maia.

"[Os partidos de esquerda] Olharam para o interesse dos brasileiros e todos juntos votaram essa emenda constitucional. Então, agradeço muito a todos dos partidos de esquerda, de forma patriótica e responsabilidade cumpriram junto com cada um de nós uma votação tão importante", completou.

Deputados votaram hoje o texto-base, em segundo turno, da proposta de emenda à Constituição (PEC) do Orçamento de Guerra. Foram 423 votos a favor e um contra.

A PEC cria uma espécie de orçamento paralelo para segregar as despesas emergenciais que serão feitas para o enfrentamento da covid-19 no Brasil. Vai vigorar durante estado de calamidade pública já reconhecido pelo Congresso, que vai até o dia 31 de dezembro deste ano.

A proposta cria também um "Comitê de Gestão da Crise", responsável por aprovar as ações do regime emergencial; criar, eleger, destituir e fiscalizar.

Mais cedo, o plenário tinha aprovado por 505 contra 2 votos a proposta, em primeiro turno. Nenhum destaque foi aprovado e os parlamentares seguiram a votação para segunda fase, aprovando uma quebra de interstício.

Maia quer votar ainda hoje a urgência do projeto de lei chamado de Plano Mansueto, de socorro aos Estados.

Coronavírus