PUBLICIDADE
Topo

Doria nega interesse em ter Mandetta no combate à covid-19 em São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), durante coletiva de imprensa sobre o coronavírus - Divulgação/Governo de São Paulo
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), durante coletiva de imprensa sobre o coronavírus Imagem: Divulgação/Governo de São Paulo

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

08/04/2020 13h18

O governador João Doria (PSDB) negou hoje que tenha o interesse em contar com o ministro Luiz Henrique Mandetta no combate ao coronavírus em São Paulo caso o médico deixe o ministério da Saúde.

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes nesta quarta-feira, o tucano afirmou que Mandetta é fundamental no combate à covid-19 e agradeceu a "outros ministros" que convenceram o presidente a não demitir o ministro no início desta semana.

"O ministro Mandetta é fundamental para o combate ao coronavírus. É fundamental que ele exerça como ministro da saúde. Quero até cumprimentar outros ministros que tomaram a sensata decisão e convenceram o presidente a manter o ministro onde ele está. Não houve nenhum convite do governo de São Paulo ou expectativa porque desejamos que ele cumpra a função que tem desempenhado muito bem", disse.

Mandetta é considerado um ministro ameaçado de demissão porque assumiu postura de defender o isolamento social, posição divergente da manifestada pelo presidente Bolsonaro (sem partido). No final de semana, Bolsonaro falou que estava "faltando humildade" ao ministro da Saúde.

Segunda-feira, o nome de Mandetta não apareceu entre os integrantes da coletiva do Ministério da Saúde e sua demissão foi anunciada por vários nome ligados ao Plananto. Mas ministros militares e a ala moderada do governo federal convenceram Bolsonaro de cancelar a demissão.

Com horas de atraso, a coletiva do Ministério da Saúde foi realizada e Mandetta falou que tinham até limpado suas gavetas. Ele foi aplaudido por funcionários do ministério e reafirmou o discurso de que as medidas tomadas serão pautadas da ciência.

Pesquisas de avaliação mostram que a atitude do ministro frente a pandemia da covid-19 é mais aprovada que a postura do presidente. Na coletiva desta quarta-feira, Doria tratou de não alimentar o boato que uma demissão de Mandetta levaria o atual ministro a ser absorvido a estrutura contra o coronavírus que existe em São Paulo. Mas o governador segue fazendo declarações de apoio e solidadierada a Mandetta e ataques a Bolsonaro.

Coronavírus