PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro exibe caixa de cloroquina para emas no Palácio da Alvorada

Jair Bolsonaro segura uma caixa de cloroquina do lado de fora do Palácio da Alvorada - REUTERS/Adriano Machado
Jair Bolsonaro segura uma caixa de cloroquina do lado de fora do Palácio da Alvorada Imagem: REUTERS/Adriano Machado

Do UOL, em São Paulo

23/07/2020 21h26

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi visto hoje exibindo uma caixa de cloroquina para as emas que vivem no Palácio da Alvorada. A cena foi flagrada por repórteres fotográficos que cobriam a movimentação presidencial no local.

Bolsonaro recebeu diagnóstico de covid-19 há duas semanas. Desde então, está em isolamento na residência oficial. Ontem, pela terceira vez, um exame apontou a presença do novo coronavírus no organismo do presidente.

A cloroquina e a hidroxicloroquina são medicamentos defendidos por Bolsonaro no tratamento da covid-19. O presidente tem exibido o medicamento a apoiadores e, desde que recebeu o primeiro teste positivo para a doença, tem dito que faz uso dele em seu tratamento.

No último dia 13, as emas do Alvorada já tinham recebido destaque após Bolsonaro ter sido "atacado" por uma das aves. Na ocasião, a cena rendeu memes na internet. A foto do presidente exibindo o medicamento para as aves hoje também repercutiu nas redes sociais, onde usuários comentaram a cena inusitada.

Também no Alvorada, Bolsonaro disse hoje que "não tem como evitar morte" ao falar sobre a pandemia do novo coronavírus. A declaração foi feita enquanto falava sobre a situação da Argentina com apoiadores nos arredores do Palácio da Alvorada.

Mais cedo, o presidente foi fotografado passeando de moto na área externa do palácio. No caminho, parou para conversar com garis, sem usar máscara de proteção.

Hoje, o Brasil passou da marca de 84 mil mortes provocadas pela covid-19 no segundo dia com maior número de novos casos confirmados da doença. De acordo com levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, as secretarias estaduais passaram a contabilizar, nas últimas 24 horas, mais 1.317 óbitos e 58.080 novos diagnósticos de infecção pelo novo coronavírus.

Política