PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Bolsonaro diz que Mandetta passou mais tempo 'com terror' do que trabalhando

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em sua live semanal - Reprodução/YouTube
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em sua live semanal Imagem: Reprodução/YouTube

Pedro Caramuru, Gustavo Porto e Daniel Galvão

23/07/2020 20h38

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) ao afirmar hoje que ele passou mais tempo "com terror" do que trabalhando. Em sua transmissão semanal ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro disse que Mandetta espalhou pânico em entrevistas, ao afirmar que "vai ter caminhões de corpos" com a covid-19.

A retomada da crítica de Bolsonaro ao ex-ministro da Saúde é feita um dia depois que o ex-titular da pasta afirmou que pretende se candidatar a presidente em 2022, em entrevista à Band News TV.

Bolsonaro disse também que não pode sair nas ruas por temer ação judicial. O presidente ainda testou positivo no terceiro exame que fez para detectar o novo coronavírus. Mais cedo, no entanto, passeou de motocicleta pela área externa do Palácio da Alvorada e parou para conversar com trabalhadores que faziam a limpeza do local.

O presidente atacou ainda os governadores de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), e do Rio, Wilson Witzel (PSC). Segundo ele, os dois se elegeram usando seu nome. Moisés e Witzel respondem a processo de impeachment nas respectivas Assembleias Legislativas. "Não sei o que dá na cabeça das pessoas, mas resolveram me atacar. Não sei qual é a intenção", disse.

O presidente disse que não pretende participar das eleições municipais de 2020, mas que, talvez, "colabore com um ou outro candidato porque o Brasil tem problemas". "Tenho que estar preocupado com o desemprego que criaram com a política do todo mundo em casa, com terror e pavor", afirmou, no entanto.

Coronavírus