PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Ministro Braga Netto recebe diagnóstico positivo para covid-19

Walter Braga Netto, da Casa Civil, é o sétimo ministro do governo Bolsonaro a ser infectado com covid-19 - ADRIANO MACHADO
Walter Braga Netto, da Casa Civil, é o sétimo ministro do governo Bolsonaro a ser infectado com covid-19 Imagem: ADRIANO MACHADO

Do UOL, em São Paulo

03/08/2020 12h03

O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Braga Netto, recebeu hoje diagnóstico positivo para covid-19. De acordo com uma nota enviada pela comunicação da Casa Civil, ele está assintomático e já cumpre isolamento social.

Braga Netto é o sétimo ministro do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a contrair a doença causada pelo novo coronavírus. Antes dele, Augusto Heleno (GSI), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Milton Ribeiro (Educação), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Wagner Rosário (CGU) foram infectados.

"O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Braga Netto, recebeu nesta segunda-feira (3/8) a confirmação de que testou positivo para a covid-19. O ministro passa bem e está assintomático. Ele ficará em isolamento até novo teste e avaliação médica. Até lá, continuará cumprindo a sua agenda de forma remota", diz o comunicado.

7º ministro

Braga Netto é o sétimo ministro do governo Bolsonaro a ser diagnosticado com covid-19 desde o início da pandemia. Nos últimos dias, Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) e Wagner Rosário (CGU) anunciaram que foram infectados.

Em março, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o titular do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, tiveram diagnósticos positivos e se recuperaram da doença. O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, também informou que testou positivo para covid-19.

Já o ministro da Educação, Milton Ribeiro, chegou a ficar internado por dois dias antes de receber alta.

O presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama Michelle também foram infectados.

Veículos se unem em prol da informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro (sem partido) de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa e assim buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Coronavírus