PUBLICIDADE
Topo

Política

"Cuidado com PF", diz Frias a deputado que o criticou por ataque a Adnet

Mário Frias ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) - Instagram
Mário Frias ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) Imagem: Instagram

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

05/09/2020 15h08

O secretário especial de Cultura, Mário Frias, usou uma mensagem enigmática para responder hoje ao deputado estadual Flávio Serafini (PSOL-RJ), que o criticou pelo ataque ao humorista Marcelo Adnet. "Cuidado com PF", escreveu ele, no Twitter, sem maiores explicações.

A sigla PF remete à Polícia Federal, que tem, entre outras atribuições, poder para investigar crimes na internet. Recentemente, agentes da instituição cumpriram dezenas de mandados expedidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no âmbito do inquérito sobre produção e disseminação de fake news.

A mensagem de Frias foi interpretada por usuários do Twitter como uma "ameaça" velada, mas também impulsionou declarações de apoio ao secretário. Uma delas veio da deputada federal Major Fabiana Souza (PSL-RJ), que é policial militar reformada e chegou a ser colega de Serafini na Alerj (Assembleia Legislativa do RJ) antes de se mudar para Brasília. "Conte conosco, secretário", escreveu ela.

frias x serafini - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Imagem: Reprodução/Twitter

A indignação de Frias, e que motivou a reação de Serafini no Twitter, começou com uma paródia de Adnet veiculada ontem (4). A obra faz alusão à campanha sobre "Heróis Brasileiros" lançada na quinta pelo governo. O secretário de Cultura é retratado de forma irônica pelo humorista.

Em resposta, o ex-ator foi ao Twitter para chamar o comediante de "frouxo", "sem futuro", "palhaço" e "bobão". O canal oficial da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social) na rede social endossou a crítica e afirmou que Adnet faz "pouco dos brasileiros".

Frias postou um print do esquete de Adnet no Instagram. "[Age] como se fosse um ser do bem, quando na verdade não passa de uma criatura imunda, cujo o adjetivo que devidamente o qualifica não é outro senão o de crápula", escreveu

O secretário atacou a vida pessoal do humorista da TV Globo, comentando sobre sua infidelidade no casamento com a ex-mulher Dani Calabresa: "Um Judas que não respeitou nem a própria esposa, traindo a pobre coitada em público por pura vaidade e falta de caráter".

"Pior do que isso: conta vantagem por se considerar melhor que as outras pessoas. Mas isso tudo é só para esconder a solidão em que ele se encontra. Quem em sã consciência consegue conviver no mundo real com um idiota egoísta e fraco como esse? Onde eu cresci ele não durava um minuto. Bobão!", finalizou.

No Twitter, Adnet notou a reação do secretário e fez piada, dizendo que ele "recomendou" a esquete. A postagem foi antes do posicionamento da Secom.

Secom

Na esteira da postagem de Frias, o Twitter oficial da Secom postou na manhã de hoje sobre a sátira de Adnet, usando outra foto do humorista e o acusando de "parodiar o bem e fazer pouco dos brasileiros".

"Não imaginamos que honrar um morador de rua que salvou uma desconhecida ou uma professora que morreu queimada para salvar dezenas de crianças causaria reações maldosas, carregadas de desprezo por brasileiros simples, mas imensamente bondosos", escreveram, citando alguns dos homenageados da campanha.

A secretaria acusou Adnet de "afetar bons sentimentos, falar em defesa do povo e coisas do tipo, mas na prática desprezar as pessoas reais, de carne e osso, que são exemplos para todos".

"Aos brasileiros de bem, imensa e esmagadora maioria, nosso muito obrigado e um pedido: compartilhem esses materiais com o máximo de pessoas possível. Nossa nação é feita de pessoas incríveis e seus exemplos eternos devem servir de inspiração a todos. Deus abençoe o Brasil", completou o órgão.

Política