PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

Mais de um mês após eleição, Bolsonaro reconhece vitória de Biden nos EUA

Do UOL, em São Paulo

15/12/2020 17h11Atualizada em 15/12/2020 18h25

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reconheceu a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, mais de um mês após o democrata ser declarado vencedor pelas projeções da imprensa local e no dia seguinte à confirmação do resultado pelo Colégio Eleitoral.

"Saudações ao presidente Joe Biden, com meus melhores votos e a esperança de que os EUA sigam sendo 'a terra dos livres e o lar dos corajosos'", escreveu Bolsonaro em uma rede social, citando um trecho do hino norte-americano ("(...) the land of the free and the home of the brave").

Entre os países que integram o G20, o Brasil era o único que ainda não havia reconhecido o resultado da eleição dos EUA. A maior parte se pronunciou já no dia 7 de novembro, quando Biden foi declarado vencedor pelas projeções da imprensa norte-americana.

Pouco antes de postar o tuíte, Bolsonaro já havia dito, em entrevista ao "Brasil Urgente", da TV Bandeirantes, que pediu ao ministro Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, que enviasse uma manifestação oficial do governo brasileiro parabenizando o presidente eleito.

"Já que os delegados reconheceram que ele [Biden] foi eleito, não vou mais discutir se houve ou não uma eleição tranquila lá. Não me cabe falar mais nada. Esperei o reconhecimento [do Colégio Eleitoral] e nós aqui já fizemos um comunicado agora há pouco ao presidente Joe Biden", anunciou o presidente.

Bolsonaro ainda elogiou o presidente Donald Trump, derrotado na eleição, com quem afirmou ter feito um trabalho "excelente". Segundo Bolsonaro, o Brasil sempre teve uma política "um tanto quanto agressiva" com relação aos EUA, mas agora "avançou" e conseguiu "alguma coisa" com os norte-americanos.

"Antes era o tempo todo o pessoal aí... Quase todos os presidentes anteriores chamando [os EUA] de imperialista, colocando neles a culpa por tudo de ruim que acontecia no mundo, e não é assim. Avançamos, conseguimos alguma coisa com o governo Trump, e eu espero que, se tudo der certo, o Biden agora...", completou, sugerindo que pretende manter boas relações com o democrata.

Apesar das críticas de Bolsonaro, o governo brasileiro mantinha um bom relacionamento com os EUA nas gestões de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, quando Barack Obama era o presidente norte-americano entre 2009 e 2017.

O comunicado oficial mencionado por Bolsonaro já consta no site do Itamaraty e é quase idêntico aos tuítes publicados pelo presidente. Nele, o governo brasileiro também se diz pronto para trabalhar com Biden e dar continuidade à construção de uma aliança Brasil-EUA "na defesa da soberania, da democracia e da liberdade em todo o mundo".

Leia a nota na íntegra:

Cumprimentos do Presidente Jair Bolsonaro ao Presidente-Eleito dos EUA Joe Biden

O Presidente Jair Bolsonaro transmite a seguinte mensagem ao Presidente-Eleito Joe Biden após o anúncio dos resultados da votação no Colégio Eleitoral dos EUA:

- Saudações ao Presidente Joe Biden, com meus melhores votos e a esperança de que os EUA sigam sendo "a terra dos livres e o lar dos corajosos".

- Estarei pronto a trabalhar com V. Exa. e dar continuidade à construção de uma aliança Brasil-EUA, na defesa da soberania, da democracia e da liberdade em todo o mundo, assim como na integração econômico-comercial em benefício dos nossos povos.

Política