PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro cobra bancada ruralista por apoio a Baleia Rossi: 'Não entendo'

"O que é que eu fiz para o campo? O campo está bombando", disse Bolsonaro em conversa com apoiadores - Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo
"O que é que eu fiz para o campo? O campo está bombando", disse Bolsonaro em conversa com apoiadores Imagem: Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

Anaís Motta e Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

11/01/2021 16h30Atualizada em 11/01/2021 17h17

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) manifestou hoje a sua insatisfação com o apoio anunciado pelo líder da bancada ruralista, deputado Alceu Moreira (MDB-RS), à candidatura de Baleia Rossi (MDB) na disputa pela chefia da Câmara. Em tom de cobrança, o governante criticou a escolha por Baleia, que é adversário do concorrente preferido do Palácio do Planalto, o líder do centrão, Arthur Lira (PP-AL).

Em comparação com governos anteriores, Bolsonaro declarou que o campo "nunca teve um tratamento tão justo". Ao externar o seu sentimento de decepção com a bancada ruralista, o presidente disse entender que "o campo tem que estar com ele" e apoiar Lira.

"Pelo amor de Deus, o que é que eu fiz para o campo? O campo es bombando. Então o pessoal do campo tem que estar comigo, pô, isso é o mínimo de razoabilidade que eu peço para eles, para a gente poder levar nossas pautas para frente", declarou Bolsonaro em conversa com apoiadores na portaria do Palácio da Alvorada.

O chefe do Executivo federal disse ainda não entender a "união" dos parlamentares ruralistas com partidos de oposição ao governo que também já anunciaram apoio a Baleia Rossi —como PT, PSOL e PCdoB.

Na visão de Bolsonaro, a costura nos bastidores do Congresso levaria a Câmara a ter "mais dois anos pela frente com a esquerda mandando na pauta". A declaração é uma opinião do presidente. O atual mandatário na Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não é um político que representa o campo da esquerda, mas possui diálogo com diferentes segmentos políticos.

Bolsonaro citou como exemplo a MP (medida provisória) 892, que desobrigava empresas a publicarem demonstrações financeiras em jornais de grande circulação e perdeu validade em dezembro de 2019, após ter sido rejeitada por uma comissão de deputados e senadores.

"Precisa publicar balancete em jornal de papel? Não pode ser nas mídias virtuais? Por que que o Rodrigo Maia [DEM-RJ] deixou caducar isso aí? Para atender à Globo em mais de R$ 1 bilhão por ano?", questionou Bolsonaro, em novo ataque ao atual presidente da Câmara e à imprensa.

O mínimo que eu peço para os parlamentares do campo é que votem no nosso candidato para a Mesa. Caducou projeto de lei da reforma do campo, que era a regularização fundiária. Nós podíamos ter todo o campo legalizado onde o homem pudesse fazer seus empréstimos, seus negócios. E não pôde fazer por quê? Porque o presidente da Câmara deixou caducar.
Jair Bolsonaro, em conversa com apoiadores

Política