PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
12 meses

Senadores desejam sorte e cobram independência a Pacheco no Senado

O presidente eleito do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) (e), é cumprimentado pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) após vencer o pleito disputado contra a senadora Simone Tebet (MDB-MS) - GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO
O presidente eleito do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) (e), é cumprimentado pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) após vencer o pleito disputado contra a senadora Simone Tebet (MDB-MS) Imagem: GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO

DO UOL, em São Paulo

01/02/2021 19h59

Após a eleição de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para a presidência do Senado, vários senadores se manifestaram no Twitter desejando sorte e cobrando independência do novo presidente da Casa.

Pacheco recebeu mensagens tanto de parlamentares da base governista quanto da oposição. Kátia Abreu (PP-TO) mencionou reformas e a aprovação do orçamento, pautas devem ser tratadas no Senado este ano. "O Brasil tem pressa", escreveu.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), desejou sucesso e um "mandato democrático" ao novo presidente do Senado.

Romeu Zema (Novo), governador de Minas Gerais, desejou sabedoria e diálogo na gestão de Rodrigo Pacheco para "o bem-estar dos brasileiros, o combate à corrupção e o foco nas reformas que farão nosso país avançar cada vez mais".

"Desejo que tenha independência e compromisso com o país para superar os desafios que o Brasil enfrenta", escreveu Romário (Podemos-RJ). Flávio Bolsonaro também se manifestou: "Desejo sucesso e que sua gestão seja pautada pelo avanço do Brasil". O senador destacou o uso de cédulas de papel na votação, modalidade que é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, mesmo sem nenhum registo de fraude em eleições com urna eletrônica.

Jaques Wagner (PT-BA), que não compareceu à eleição por motivos médicos, desejou a Pacheco "sabedoria e luz para que possa tornar o Senado da República cada vez mais respeitado pelo povo brasileiro".

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que é vice-líder do seu partido, declarou seu voto em Simone Tebet e afirmou que o Cidadania vai "colaborar e cobrar celeridade".

Ciro Nogueira (Podemos-BA) classificou a vitória de Rodrigo Pacheco como "um grande passo para o desenvolvimento do nosso país".

O resultado da eleição no Senado motivou ainda a manifestação do presidente nacional do DEM, partido de Pacheco, Antônio Carlos Magalhães Neto. "Desejo sorte e serenidade ao senador Rodrigo Pacheco (DEM), novo presidente da Casa. Aproveito para reafirmar a nossa postura de independência e dizer que estamos abertos para discutir a política em alto nível, sem admitir conversas sobre cargos. O nosso compromisso é com o país", escreveu.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, também se manifestou pelas redes sociais: "Nós, do Governo, estamos confiantes em sua atuação na pauta liberal e nas reformas necessárias ao país".

Ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Ramos, acompanhou a votação do Senado pelas redes sociais e parabenizou o novo presidente.

Pacheco recebeu 57 votos, enquanto Simone Tebet (MDB-MS) recebeu 21. Rodrigo Pacheco foi apoiado por seu antecessor Davi Alcolumbre (DEM-AP) e tinha também o endosso do presidente Jair Bolsonaro.

O MDB abandonou a candidatura de Tebet e ela se lançou como candidata independente. Mais cedo, Jorge Kajuru (Cidadania-GO), Lasier Martins (Podemos-RS) e Major Olímpio (PSL-SP) abandonaram suas candidaturas em apoio à Simone Tebet.

Política