PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Líderes religiosos se reúnem em oração a Bruno Covas na porta de hospital

Leonardo Martins

Do UOL, em São Paulo

15/05/2021 22h18

Familiares e amigos do prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), organizaram um ato inter-religioso com 14 líderes de diferentes religiões na porta do hospital Sírio-Libanês, onde Covas está internado em um leito semi-intensivo em tratamento contra um câncer.

Estão presentes líderes católicos, protestantes, islâmicos, judaicos e do candomblé. A homenagem é conduzida pelo Núcleo Interreligioso do PSDB.

O quadro do prefeito se agravou na tarde de ontem e se tornou irreversível. Ele teve de ser sedado e está acompanhado da família no quarto.

Desde ontem, amigos, familiares e colegas de trabalho de Covas estiveram presentes no hospital. O filho do prefeito, Tomás Covas, 15, foi visto ontem à noite sendo abraçado e consolado por amigos do prefeito. Ele vestia uma jaqueta do Santos Futebol Clube, time de coração dele e do pai.

Bruno Covas está internado desde o começo do mês após ter um sangramento agudo na cárdia, região que liga o estômago e o esôfago e onde o prefeito teve registrado seu primeiro tumor, em 2019.

Ele se licenciou do cargo no começo de maio. Desde então, a capital é comandada pelo prefeito em exercício, Ricardo Nunes (MDB).

Diagnóstico em 2019

Covas foi diagnosticado em outubro de 2019 com um câncer em metástase na cárdia. O prefeito, então, concluiu quatro meses de quimioterapia, teve queda de cabelo e barba, e emagreceu. À época, foi o suficiente para frear a doença.

Desde o começo de abril, no entanto, a luta dele contra o câncer tem ficado cada vez mais dura. Exames recentes indicaram que o tumor estava, mais uma vez, em metástase —foram encontrados novos pontos da doença no fígado e nos ossos.

Ele chegou a receber alta, mas piorou de novo quando foram encontrados líquidos acumulados na região do seu abdômen e pulmão.

Política