PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

'Quem perde não é o PSDB, é o país', diz dirigente do partido sobre Covas

15.mai.2021 - O presidente municipal do PSDB em São Paulo, Fernando Alfredo, fala com a imprensa no Hospital Sírio-Libanês, onde está internado o prefeito Bruno Covas - RENATO S. CERQUEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
15.mai.2021 - O presidente municipal do PSDB em São Paulo, Fernando Alfredo, fala com a imprensa no Hospital Sírio-Libanês, onde está internado o prefeito Bruno Covas Imagem: RENATO S. CERQUEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

Gabriela Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/05/2021 13h05Atualizada em 15/05/2021 13h07

O presidente municipal do PSDB em São Paulo, Fernando Alfredo, disse que o prefeito licenciado da capital paulista e seu correligionário, Bruno Covas, é a "maior referência" do partido. Alfredo visitou Covas na manhã deste sábado (15), no Hospital Sírio-Libanês, na região central de São Paulo. O prefeito trata um câncer e seu estado de saúde foi declarado irreversível ontem (14).

"A nossa maior referência no PSDB. Quem perde não é o PSDB, quem perde é o país. Sem sombra de dúvidas, o Bruno seria governador e seria presidente desse país. Ele era a nossa esperança, a esperança da nossa geração", afirmou Alfredo, muito emocionado, à imprensa no hospital.

Segundo o dirigente do PSDB, Covas está confortável e sedado, ao lado da família.

O presidente municipal do partido chegou a homenagear o prefeito com uma tatuagem no começo deste mês. Na pele, marcou a assinatura de Bruno Covas e também o slogan da campanha tucana para a prefeitura em 2020: "força, foco e fé".

Na manhã deste sábado, também foi mantida uma agenda do prefeito em exercício, Ricardo Nunes (MDB), em um dos postos de vacinação contra a gripe. Sobre o estado de saúde do prefeito, Nunes declarou que a melhor homenagem que poderia fazer seria "continuar cuidando da população".

O secretário municipal da Educação, Fernando Padula, complementou que Bruno ficaria "bravo" se a agenda fosse cancelada.

O secretário de Saúde da cidade, Edson Aparecido, lembrou que Covas sempre continuou trabalhando, mesmo após o diagnóstico da doença. "Enfrentou a pandemia, enfrentou a doença e enfrentou uma campanha eleitoral de cabeça erguida", disse.

Reeleito para a prefeitura de São Paulo em 2020, Covas realiza tratamento contra um câncer no sistema digestivo desde 2019. O diagnóstico foi na cárdia, que fica na transição entre o esôfago e o estômago. O político foi internado no dia 2 de maio.

Política