PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Oposição repercute queda de Bolsonaro no Datafolha e cobra Lira: "Ouviu?"

Do UOL, em São Paulo

16/09/2021 18h53Atualizada em 17/09/2021 10h34

Políticos e famosos repercutiram o aumento na reprovação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que chegou a 53%, pior índice desde o início de seu mandato, segundo a pesquisa Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (16).

O Datafolha ouviu presencialmente 3.667 pessoas com mais de 16 anos em 190 cidades de todo o país, entre os dias 13 e 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Nas redes sociais, a oposição aproveitou os novos números divulgados pelo instituto para pressionar o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), responsável por decidir se abre o processo ou não contra o presidente da República. Mais de 130 pedidos de impeachment de Bolsonaro já foram protocolados na Câmara. Das peças que seguem em análise, a mais antiga data de 13 de março de 2019, segundo levantamento do jornal "Folha de S.Paulo".

Uma vez aberto, o processo passa por uma comissão e depois é votado em plenário. Se a maioria qualificada, de dois terços dos deputados, deliberar favoravelmente ao prosseguimento dos trabalhos, por considerar que houve crime, o processo vai a julgamento — e o mandatário já é afastado do cargo, temporariamente.

"Urgente! Datafolha: Bolsonaro atinge rejeição recorde de 53%. Ouviu, Arthur Lira_? Ninguém aguenta mais esse governo. Impeachment já!", escreveu o psolista Guilherme Boulos, enviando a mensagem diretamente para o presidente da Câmara.

"Para pautar o voto impresso, Lira justificou dizendo que uma parcela expressiva da sociedade era favorável. Hoje a pesquisa Datafolha mostra que 53% da população rejeitando Bolsonaro. Isso não seria uma justificativa para Lira acatar um entre os vários pedidos de impeachment?", ressaltou o deputado petista Paulo Pimenta.

O digital influencer Felipe Neto também cobrou posicionamento de Lira em relação ao processo de impeachment. "Apenas 22% está com ele! Só falta o Centrão soltar a mão do genocida, porque a população já largou. Alou Arthur Lira, toma vergonha, ele está isolado e você vai afundar junto", escreveu.

"A resposta dos brasileiros ao discurso golpista de Bolsonaro: a reprovação do presidente bateu recorde, chegando a 53%, mostra o Datafolha. Os brasileiros não aguentam mais a inflação, o desemprego e os ataques à democracia. Sua hora está chegando, Bolsonaro", disse o deputado federal Alessandro Molon.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado em versão anterior deste texto, Alessandro Molon é deputado federal, e não senador. A informação foi corrigida.

Política