PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Bombig: Mesmo com derrota, Nunes Marques criou palanque para Bolsonaro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/06/2022 19h15

Mesmo com a derrota na 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal), que manteve a cassação do deputado estadual Fernando Francischini (União Brasil-PR), o ministro Nunes Marques conseguiu criar palanque para o presidente Jair Bolsonaro (PL). A análise é do colunista do UOL Alberto Bombig

Em participação no UOL News, Bombig disse que o voto decisivo do ministro Gilmar Mendes impôs uma derrota tanto para Nunes Marques quanto para o ministro André Mendonça, ambos indicados ao Supremo por Bolsonaro.

"Nesse caso, eles acompanharam a agenda bolsonarista, que vem travestida de liberdade de expressão, de assegurar algum direito de opinião, mas, na verdade, está protegendo e bancando fake news no Brasil em ano eleitoral", afirmou o jornalista.

É uma derrota para os ministros indicados pelo Bolsonaro e, também, uma vitória indireta do ministro Alexandre de Moraes, que vai comandar o TSE durante as eleições e tem sido muito firme na questão das fake news. Alberto Bombig, colunista do UOL

Bombig acrescentou que é "inegável" a atitude de Nunes Marques em, mais uma vez, criar um conflito entre o STF e a sociedade.

"[Ele] cumpre um papel de criar esse confronto STF x 'o povo', ou STF x liberdade. As consequências políticas e eleitorais desse gesto já estão colocadas, ao menos juridicamente", disse.

Apesar disso, o colunista do UOL observou que a decisão de Nunes Marques que tentou salvar o mandato de Francischini serviu como um palanque para o presidente da República.

Mesmo tendo sido derrotada, a posição do Nunes Marques e do André Mendonça já serviu para dar palanque a esse discurso do Bolsonaro de continuar alimentando dúvida no sistema eleitoral. Alberto Bombig, colunista do UOL

2ª Turma do STF derruba decisão de Nunes Marques

Por três votos a dois, a 2ª Turma do STF decidiu derrubar a decisão do ministro Nunes Marques que salvou o deputado estadual Fernando Francischini (União Brasil-PR) da cassação imposta pela Justiça Eleitoral.

Os ministros Edson Fachin, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes votaram para revogar a decisão do colega. André Mendonça e o próprio Nunes Marques ficaram derrotados. Os dois defendiam a manutenção do mandato do deputado.

O resultado do julgamento impõe uma derrota e amplia o isolamento do ministro Nunes Marques no STF. Como mostrou o UOL, o ministro tem acumulado críticas internas devido a votos, decisões e pedidos de vista em julgamentos de interesse do Planalto.

Francischini é apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL) e foi o primeiro parlamentar punido por fake news no TSE. Em 2021, a Corte cassou o mandato do deputado por fazer uma live durante o primeiro turno de 2018 acusando suposta fraude nas urnas.

Por 6 votos a 1, os ministros do TSE entenderam que ele cometeu abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação.

Assista ao UOL News na íntegra:

Política