PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Lula, Ciro e Tebet celebram vitória de jornalista da Folha contra Bolsonaro

TJ-SP confirmou condenação de Bolsonaro por ofensa à jornalista da Folha de S. Paulo - Reprodução
TJ-SP confirmou condenação de Bolsonaro por ofensa à jornalista da Folha de S. Paulo Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

29/06/2022 14h21Atualizada em 29/06/2022 14h33

Pré-candidatos à Presidência da República se manifestaram hoje sobre a vitória da jornalista Patrícia Campos Mello, do jornal Folha de S.Paulo, sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) em ação judicial. Mais cedo, o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) condenou Bolsonaro a indenizar Campos Mello por danos morais.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que essa é uma vitória das profissionais de imprensa. "Importante a vitória da jornalista Patrícia Campos Mello contra as ofensas de Bolsonaro. A vitória é das profissionais de imprensa, agredidas por um presidente que odeia jornalistas e não aceita questionamentos, em especial de mulheres. O Brasil não será mais o país do ódio", escreveu nas redes sociais.

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) parabenizou a jornalista e a corte. "Parabéns a Patrícia Campos Mello ao Tribunal de Justiça de S. Paulo e a todas mulheres brasileiras pelo ganho de causa de Patrícia na ação contra Bolsonaro. Que a justiça continue sendo feita!", afirmou.

A pré-candidata do MDB, Simone Tebet, compartilhou a publicação em que Patrícia anuncia o resultado do julgamento, dizendo: "Patrícia nos representa".

Relembre o caso

Em fevereiro de 2020, o presidente disse a apoiadores que a jornalista "queria dar o furo a qualquer preço contra mim". "Furo" é um jargão jornalístico para uma informação exclusiva.

A declaração de Bolsonaro era em referência ao depoimento de Hans River do Nascimento, ex-funcionário de uma agência de disparo em massa por WhatsApp. Nascimento mentiu à CPI das Fake News no Congresso, dizendo que a jornalista se insinuou sexualmente para ele em troca de informações para uma reportagem. As declarações foram contestadas em mensagens de texto e em áudios divulgados pela Folha.

Política