Câmara aprova urgência em projeto que anula delações e ajudaria Bolsonaro

A Câmara aprovou nesta quarta-feira (12), em votação simbólica, o requerimento de urgência de um projeto de lei que propõe anular delações premiadas feitas por réus presos. Não há previsão de votação da proposta no plenário ainda nesta semana.

O que aconteceu

A aprovação ocorreu de maneira simbólica, isto é, sem os nomes dos deputados. Na prática, a aprovação de urgência permite que o projeto vá direto para apreciação no plenário, sem precisar passar por comissões.

Se aprovado, o projeto pode beneficiar Jair Bolsonaro (PL). Isso porque pelo menos três inquéritos contra o ex-presidente contam com informações da colaboração premiada do coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens da Presidência: a fraude na carteira de vacinação de Bolsonaro, a venda de joias recebidas por ele em viagens presidenciais e a descoberta de uma minuta de golpe para intervenção no TSE após a eleição de 2022.

O projeto foi apresentado em 2016 pelo PT e retomado agora por bolsonaristas. De autoria do então deputado federal Wadih Damous (PT-RJ), a proposta foi apresentada como uma resposta aos avanços da Operação Lava Jato na época, que atingia principalmente políticos do PT e de partidos do centrão. A votação da proposta porém, acabou não avançando na casa.

Ela voltou a tramitar recentemente, após mobilização de parlamentares do centrão e da bancada bolsonarista com apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Deixe seu comentário

Só para assinantes