Mitos e verdades

Pessoas que não comem carne são mais magras, têm menos diabetes e colesterol mais controlado

Luciana Alvarez

Do UOL, em São Paulo

Ser vegetariano num país que tem como pratos tradicionais feijoada e churrasco não é tarefa fácil. Os que decidem abster-se de comer carne enfrentam muitos preconceitos e desconhecimento. Porém, estudos em várias partes do mundo têm mostrado que vegeterianos não têm a saúde frágil, como muita gente acredita. Pelo contrário, eles são mais magros e saudáveis.

Esse é apenas um dos vários equívocos que cercam o não consumo de carne. Para começar, o próprio conceito de vegetarianismo não é muito claro. É considerado vegetariano quem não consome nenhum tipo de carne, seja vermelha ou branca. Portanto, quem come só peixe ou frango não pode receber o título.

Mas entre os vegetarianos também existem algumas variações, como explica a nutricionista clínica Roberta Soriano: "Os lactovegetarianos consomem leite e derivados em sua dieta; ovolactovegetarianos utilizam ovo, leite e derivados na alimentação; já veganos ou "vegans" não consomem nenhum tipo de alimento de origem animal".

Independente da opção, a especialista recomenda para todos os vegetarianos um acompanhamento nutricional para garantir a alimentação balanceada e prevenir a carência de vitaminas e minerais e, assim, blindarem-se contra possíveis males.

Segundo um relatório publicado em 2003 pela Associação Dietética Norte-americana, vegetarianos têm 50% menos risco de apresentar diabetes, menos doenças cardíacas, seus níveis de colesterol geralmente são mais controlados, assim como a pressão arterial.
 
Poucos sabem, mas o norte-americano Carl Lewis, um dos maiores medalhistas olímpicos, era vegano e Éder Jofre, maior nome do boxe brasileiro, é vegetariano. Dois exemplos que mostram que não consumir carne não é sinônimo de fragilidade.

De forma geral, para terem uma alimentação saudável, os vegetarianos devem seguir seis recomendações:

Vitamina C: aproveite para incluir nas principais refeições um copo de suco de laranja, acerola, morango, caju, ou alguma outra fruta rica em ácido ascórbico (a vitamina C). Ela potencializa a absorção de ferro.
Laticínios: mesmo quem não come carnes pode ter boa fonte de proteína animal consumindo bastante leite e derivados, como queijos, manteiga, iogurte, coalhada. Outra boa opção são ovos, que podem ser usados em preparos de panquecas, tortas, bolos. Essa dica só não vale para os veganos.
Vegetais verde-escuros: as verduras como agrião, couve, espinafre e brócolis, todas de cor verde-escura, são ricas em ferro, portanto, inclua sempre uma delas em suas refeições.
Leguminosas: outra forma de substituir o ferro da carne é abusar das chamadas leguminosas (grãos produzidos em vagens). Esse grupo alimentar inclui: feijões, soja, grão de bico, lentilha, ervilha etc.
Cereais e oleaginosas: outras fontes de ferro numa alimentação vegetariana podem ser os cereais integrais, aveia, quinoa, linhaça, e as oleaginosas, como nozes, amêndoas, castanhas.
Sem cafeína: espere pelo menos uma hora depois das refeições para tomar café, chá preto ou mate, ou refrigerantes a base de cola. Essas bebidas possuem grande quantidade de cafeína, que dificulta a absorção do ferro.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos