PUBLICIDADE
Topo

Vizinhos de médico com ebola em NY se dizem chocados e com medo

Prédio onde o médico Craig Spencer mora em Nova York tem escolta da polícia - Don Emmert/AFP
Prédio onde o médico Craig Spencer mora em Nova York tem escolta da polícia Imagem: Don Emmert/AFP

Do UOL, em São Paulo

24/10/2014 12h44

Vizinhos do médico Craig Spencer, 33, hospitalizado em Nova York com o ebola, nesta quinta-feira (23), dizem estar chocados e com medo de terem contraído o vírus. O apartamento do médico no Harlem está lacrado.

Craig Spencer está internado no hospital Bellevue de Manhattan, preparado especialmente para tratar casos de ebola em Nova York, a cidade mais povoada dos Estados Unidos.

John Byun, 60, disse estar preocupado por ter lavado as roupas de Spencer e de sua noiva, Morgan Dixon. Nos EUA, é comum haver lavanderias comunitárias em prédios.

“Eu lavava suas roupas. Vou ficar bem, certo? Ele vai ficar bem?", questionou Byun a reportagem do "New York Post".

Outro vizinho disse estar chocado e com medo de contrair a doença depois que o caso foi confirmado.

"Estou em estado de choque. Estou nervoso de ir ao meu apartamento agora", disse Derick Gordon, 17. "Eu tenho um pouco de medo agora porque [o caso de ebola] está no meu prédio. Isso só se tornou muito verdadeiro e é horrível".

Robert Cedano, que trabalha no prédio, disse que está preocupado com a possibilidade de poder contrair a doença mortal.

"É preocupante", disse. "Eu não sei quando ele vai voltar. Mas agora ele se foi, estou aliviado".

Moradores do prédio receberam folhetos sobre o ebola, que esclarecem sobre sintomas e como o vírus é transmitido.

Médico andou de metrô 3 vezes

Autoridades de Nova York estão a procura de pessoas que tiveram contato com o médico.

Spencer, um médico atuando com casos de emergência que estava trabalhando com a organização Médicos Sem Fronteiras na Guiné, país que tem sofrido com o surto de ebola, retornou à cidade na sexta-feira passada.

Depois disso, segundo as autoridades, ele visitou um parque, fez uma refeição em um restaurante, visitou um boliche no Brooklyn, andou de metrô pelo menos três vezes e fez uma corrida de quase cinco quilômetros.

Autoridades contataram um motorista de táxi que transportou Spencer na quarta-feira (22), mas não consideram que ele esteja sob risco.

A noiva de Spencer e mais dois amigos do casal estão em quarentena.

Governo pede para evitar pânico

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, confirmou o diagnóstico de Spencer na noite desta quinta-feira (23) em entrevista à imprensa.

"Os exames realizados hoje [quinta-feira] confirmaram que um paciente aqui na cidade de Nova York teve um resultado positivo para ebola", disse De Blasio.

O governo da cidade pediu a população que não entre em pânico e disse que está investigando junto com o CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças) o paradeiro de pessoas que tiveram contato com o médico.

"Queremos deixar claro, desde o início, que não há razão para que os nova-iorquinos fiquem alarmados", destacou De Blasio, insistindo que a cidade de 8,4 milhões de habitantes está preparada para enfrentar o problema.

"O ebola é muito difícil de se contrair. Se transmite apenas pelo contato com o sangue e outros fluidos corporais" da pessoa infectada, recordou o prefeito.

Médico media febre todos os dias

A Médico Sem Fronteiras (MSF) relatou que Spencer, que trabalhou para a organização "em um dos países da África afetados pelo ebola, informou à organização que apresentava febre, cumprindo com as estritas determinações observadas pelo pessoal que retorna de uma missão".

O médico media sua temperatura duas vezes por dia.

Imediatamente após o comunicado de Spencer, a MSF informou a situação aos serviços de saúde de Nova York, com base nos protocolos adotados.

(Com agências e jornais internacionais)

Saiba mais sobre ebola

  • O que é o ebola?

    A doença é causada pelo vírus ebola e, no surto atual, já matou quase a metade dos pacientes diagnosticados com a doença. Tem sintomas como febre, vômito, diarreia e hemorragia.

  • Como se contrai o vírus?

    O ebola é transmitido pelo contato direto com sangue e fluídos corporais (suor, urina, fezes e sêmen) de pessoas contaminadas e de tecidos de animais infectados.

  • Quais países têm mais casos de ebola?

    Guiné, Libéria e Serra Leoa vivem surtos de ebola. Na Nigéria houve casos da doença, mas o vírus deixou de ser ameaça no país. EUA e alguns países europeus resgataram compatriotas infectados para tratamento.

  • Quem tem mais risco de contrair a doença?

    Parentes dos pacientes e os profissionais de saúde que tratam os pacientes com ebola são os indivíduos em maior situação de risco. Mas, qualquer pessoa que se aproxime de infectados ou de seus corpos sem vida se coloca em risco.

  • O ebola tem cura?

    Não há remédio que cure o ebola propriamente. Existem apenas medicamentos e vacinas experimentais sendo testadas no Canadá, nos Estados Unidos e na África, que surtiram o efeito desejado, isto é, zeraram a carga viral dos infectados. Quem sobreviveu ao tratamento continuará sendo monitorado por um tempo.