Filtro solar pode causar reação alérgica em bebês? Entenda o risco

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Facebook

Uma australiana publicou recentemente no Facebook uma foto de seu filho de três meses com marcas vermelhas na barriga e o post viralizou. Segundo Jessie Swan, a criança teve uma reação alérgica ao protetor solar fator 50 da Peppa Pig, fabricado pela ONG Cancer Council Australia, e precisou ficar internada por três dias para tratar a erupção, semelhante a uma queimadura. A mãe alega ainda que o bebê não foi exposto ao sol. 

A entidade respondeu à postagem dizendo que vai investigar o caso, mas que o produto foi formulado dentro das regras de qualidade do país. A ONG afirmou também que, pelo fato de haver diferentes tipos de pele, reações individuais podem ocorrer e é necessário fazer um teste de sensibilidade antes de fazer uso do produto.

Reprodução/Cancercouncilshop
 

Mas, afinal, protetor solar infantil pode causar alergia?

Em fevereiro do ano passado, a Academia Americana de Pediatria publicou uma série de dicas sobre como proteger as crianças do sol, que incluía evitar o protetor solar em bebês com menos de 6 meses. De acordo com a entidade, uma pequena quantidade pode ser aplicada no rosto e na palma das mãos apenas se não for possível evitar o sol, mas que o ideal é usar roupas com mangas compridas e chapéus para proteger os bebês

Segundo a dermatologista Elisabeth Lima Barboza, a pele dos bebês até os seis meses é muito delicada e pode absorver os produtos químicos presentes nos protetores. Existe o risco de intoxicações, porque o sistema imunológico nesta fase ainda não está bem definido:

Protetores solares são indicados para crianças a partir de 6 meses. Antes disso, não devem usar o produto, nem ser expostas de maneira intensa ao sol

Depois dos 6 meses tudo bem?

Após os seis meses, as crianças podem usar protetor solar infantil que não apresentem compostos químicos como ácido paraminobenzóico (PABA) ou Benzofenona-3. Mas isso não quer dizer que a proteção solar se torne livre de alergias. 

"As reações são menores a partir dos 6 meses, mas não significa que o hipoalergênico, por exemplo, nunca dá alergia. Provoca menos, mas pode acontecer. Isso vai do organismo de cada pessoa. Antes da utilização do protetor, é importante buscar a orientação de um pediatra ou dermatologista", explica Barboza.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos