Alimentação

Dieta mediterrânea reduz risco de câncer de mama em 40%, mostra estudo

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

A dieta mediterrânea, rica em azeite, peixes, frutas, nozes, legumes e cereais integrais, pode reduzir o risco de contrair um dos piores tipos de câncer de mama em 40%, de acordo com um estudo publicado no periódico IJC (International Journal of Cancer). Os benefícios da dieta mediterrânea incluem ainda a redução do risco de AVC (Acidente Vascular Cerebral) e de doenças cardíacas.

No estudo, que acompanhou mulheres por 20 anos, as voluntárias que adotavam a dieta mediterrânea tiveram reduzidas as possibilidades de desenvolver câncer de mama ER-negativo --uma forma de câncer pós-menopausa que não pode ser tratado com terapia hormonal. Essa forma da doença geralmente tem um pior prognóstico do que outros tipos de câncer de mama.

Piet van den Brandt, pesquisador da Universidade de Maastricht, na Holanda, e líder da pesquisa afirma que o novo estudo "pode ajudar a esclarecer como os padrões alimentares podem afetar o risco de câncer".

Os investigadores relacionaram o risco de desenvolvimento de câncer à dieta de 62.573 mulheres com idades de 55 a 69 anos. As refeições foram monitoradas para verificar se elas seguiam o padrão mediterrâneo, que tem baixo consumo de carne vermelha, doces e farinha branca, como pão ou arroz branco.

A dieta mediterrânea tradicionalmente inclui consumo moderado de bebidas alcoólicas. Mas devido ao fato do álcool ser um fator de risco conhecido para o câncer de mama, foi excluído do estudo.

Thinkstock
Dos componentes da dieta mediterrânea, frutas secas, frutas e peixes são os que oferecem maiores benefícios na prevenção do câncer de mama

Nozes e amêndoas, frutas e peixe combatem câncer

A pesquisa analisou diferentes componentes da dieta mediterrânica de forma individual. A ingestão de frutas secas, como nozes e amêndoas, foi a que apresentou maior poder para conter o câncer, seguido de frutas e peixes.

Das mulheres que participaram do estudo, 3.354 contraíram câncer de mama. Contudo, 1.033 dos casos não foram incluídos na análise pelo fato de as mulheres já terem um histórico da doença ou por estarem com dados de dieta incompletos ou inconsistentes.

De acordo com os pesquisadores, a dieta mediterrânea poderia evitar um terço (32,4%) dos casos de câncer de mama ER-negativo e 2,3% dos casos de câncer de mama em geral. Mais pesquisas devem ser feitas para que se possa entender melhor os fatores de risco para os diferentes subtipos da doença.

Outros estudos já indicavam que uma dieta saudável como a mediterrânea, com gorduras de baixa saturação, desempenha um papel importante na redução do risco de diferentes tipos de câncer.

Câncer de mama é o mais comum entre mulheres

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não-melanoma. A doença também acomete homens, porém casos assim são raros, representando apenas 1% do total. 

De acordo com dados do Inca (Instituto Nacional de Câncer), cerca de 22% dos novos tumores em cada ano são de mama. A doença é prevalente entre mulheres com mais de 50 anos, e cresce progressivamente a partir dos 35 anos.  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos