PUBLICIDADE
Topo

Saúde

15 dos 98 dos infectados por coronavírus no Brasil estão no grupo de risco

Pessoas utilizam máscaras de proteção contra o coronavírus em hospital de Brasília (DF) - ADRIANO MACHADO
Pessoas utilizam máscaras de proteção contra o coronavírus em hospital de Brasília (DF) Imagem: ADRIANO MACHADO

Alex Tajra

Do UOL, em São Paulo

13/03/2020 19h58

Segundo o último balanço do Ministério da Saúde, 15 dos 98 casos de coronavírus confirmados no país são de pessoas que têm 60 anos ou mais e estão, portanto, no chamado grupo de risco, que integra quem pode desenvolver a forma mais grave da doença.

Ainda segundo o ministério, são 1.485 casos suspeitos em todo o país. Esses pacientes, em sua maioria, apresentam febre e sintomas respiratórios (como tosse ou dificuldade de respirar), voltaram de viagem ao exterior recentemente ou tiveram contato com algum caso confirmado da doença. Nesses casos, é preciso aguardar o resultado do exame de detecção do vírus para que a suspeita possa ser confirmada ou descartada. Outros 1.344 casos já tiveram a suspeita descartada

O total de 98 casos é o dado oficial compilado pelo ministério com muitas horas de atraso. Há, porém, mais casos no país, alguns já notificados. Apenas no hospital Albert Einstein, em São Paulo, foram confirmados 98 pacientes com o vírus na noite de ontem. As secretarias estaduais têm divulgado os números atualizados no final da tarde, quase 23 horas antes de o Ministério da Saúde publicar o balanço.

Outros estados, como o Amazonas, já tiveram casos confirmados e que ainda foram não computados pelo governo federal.

O enquadramento no grupo de risco tem como base a vulnerabilidade em relação ao desenvolvimento da doença. Em termos de letalidade, os idosos são os que mais morrem em face do novo coronavírus. Dados do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças mostram que 3,6% das pessoas com mais de 60 anos que se contaminam com o vírus morrem; esse percentual sobe para 8% para quem tem mais de 70 e para 14,8% para quem tem mais de 80 anos.

Não há consenso sobre quais faixas etárias entram no grupo de risco. O médico infectologista David Uip, coordenador do centro de contingência da covid-19 no estado de São Paulo, aponta para uma maior vulnerabilidade nas pessoas com mais de 50 anos. Ontem, ele afirmou em entrevista coletiva que trabalha com cenários que envolvem a contaminação pelo coronavírus de 1% a 10% da população com as pessoas dessa faixa etária.

Faixa etária dos 98 infectados no Brasil:

  • 40 a 49 anos - 22%
  • 50 a 59 anos - 13%
  • 60 a 69 anos - 10%
  • maior de 69 anos - 5%

O ministério confirmou que já há casos de transmissão comunitária do novo coronavírus nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Segundo o ministério, quatro pontos sustentam esse tipo de transmissão, também chamada de sustentada:

  • quando não é possível identificar o vínculo epidemiológico;
  • a partir da 5ª geração de transmissão de caso
  • identificação de, pelo menos, um resultado positivo na vigilância sentinela e
  • identificação de, pelo menos, um caso internado por síndrome

Recomendações

O governo está preocupado que um aumento exponencial nos casos do coronavírus possa superlotar os hospitais, reduzindo a capacidade de atendimento dos casos graves. Hoje, a pasta apresentou recomendações para as áreas em que há a transmissão comunitária, como Rio e São Paulo:

  • Reduzir os desolamentos para o trabalho, incentivando reuniões virtuais e o trabalho de casa;
  • Estimular a adoção de horários alternativos de trabalho para reduzir o movimento nas cidades nos horários de pico;
  • Antecipar as férias nas instituições de ensino;
  • Declaração de quarentena, em áreas definidas, após atingir 80% da ocupação de leitos de UTI disponíveis para os pacientes com o coronavírus.

Saúde