PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Esse conteúdo é antigo

Com 166 novas mortes, país chega a 2.741 óbitos por covid-19

20.abr.2020 - Hospital Nilton Lins, em Manaus, foi inaugurado no sábado (18) - Divulgação/Governo do Amazonas
20.abr.2020 - Hospital Nilton Lins, em Manaus, foi inaugurado no sábado (18) Imagem: Divulgação/Governo do Amazonas

Do UOL, no Rio

21/04/2020 17h54Atualizada em 21/04/2020 20h46

Resumo da notícia

  • São Paulo registra 1.093 óbitos e tem 15.385 infectados
  • Com 753 mortes, a cidade de São Paulo concentra 69% dos óbitos no estado
  • No Rio, foram confirmadas 461 mortes e 5.306 pessoas com a covid-19

Subiu para 2.741 o número de mortes por causa da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, segundo informou hoje (21) o Ministério da Saúde. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 166 novos óbitos relacionados à pandemia.

Já são 43.079 casos de pessoas infectadas no país, com 2.498 novos registros confirmados de ontem para hoje. A taxa de letalidade — percentual de mortes em relação aos pacientes contaminados — é de 6,4%. Segundo o Ministério da Saúde, 24.325 pessoas se recuperaram da doença (56,5%. do total)

O anúncio de hoje, no entanto, não significa necessariamente que 166 pessoas morreram nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, o Ministério da Saúde tem somado ao balanço diário mortes ocorridas dias atrás, com confirmação de covid-19 no último dia.

No ranking dos estados, São Paulo é o que mais tem casos e mortes por covid-19, com 1.093 óbitos e 15.385 infectados. O Rio de Janeiro segue em segundo lugar nos dois tipos de registro, com 461 mortes e 5.306 pessoas com a covid-19.

Pernambuco é o terceiro estado com mais mortes, com 260 óbitos. O Ceará, com 215 mortes, aparece em quarto lugar, seguido de Amazonas (193 óbitos).

Com 3.716 infectados, o Ceará está em terceiro lugar entre os estados com mais casos de pessoas com a covid-19, seguido de Pernambuco (2.908) e Amazonas (2.270).

A região com mais infectados por coronavírus é a Sudeste, com 23.133 casos, o equivalente a 53,7% do total no país. Na sequência estão Nordeste, com 10.868 (25,2%), Norte, com 4.431 (10,3%), Sul, com 2.991 (6,9%) e Centro-Oeste, com 1.656 (3,8%).

Em São Paulo, o número de mortes já é três vezes maior do que o verificado há 15 dias — em 7 de abril, tinham sido registrados 371 casos. Já são 97 cidades no estado com pelo menos uma vítima fatal. Há pessoas infectadas em 239 cidades.

SP teve 56 mortes nas últimas 24 horas; RJ teve 39

Nas últimas 24 horas, foram confirmadas 56 mortes e 805 novos casos de pessoas com a doença em São Paulo. Já no Estado do Rio, foram 39 óbitos e 407 infectados de ontem para hoje.

Com 753 mortes por covid-19, a cidade de São Paulo concentra 69% dos óbitos no estado. A capital confirmou 10.342 pessoas infectadas, o equivalente a 67,2% dos casos no estado.

Com 283 mortes, a capital fluminense registrou 61,4% das mortes no estado. A cidade do Rio contabilizou 3.587 infectados — 67,6% dos registros no estado.

Médicos já "escolhem" pacientes em UTI

Médicos do Instituto de Infectologia Emílio Ribas já têm de escolher, mesmo que "indiretamente", qual paciente irá ou não para um leito de UTI para o tratamento da covid-19. A afirmação foi feita hoje por Jaques Sztajnbok, médico supervisor da UTI do Emílio Ribas, em entrevista à GloboNews.

Sztajnbok explicou que o hospital, referência no tratamento de doenças infectocontagiosas em São Paulo, tem hoje 30 leitos de UTI — todos ocupados. Um novo paciente só pode ser admitido quando um leito fica vago, seja por alta ou por óbito de outra pessoa.

"Quando eu tenho zero vagas e olho [no sistema] que há seis solicitações para uma vaga, a situação já se delineia. Quando aparece uma vaga e essas mesmas seis solicitações continuam lá, essa escolha acaba sendo indiretamente efetivada. Mesmo sem a dramaticidade de estar com os dois pacientes na minha frente, com um único aparelho", disse Sztajnbok.

Saúde