PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Perto do lockdown, Copacabana se torna o bairro do RJ com mais mortes

10.mai.20 - Apesar dos números e das recomendações para o isolamento social, o calçadão de Copacabana apresentava intensa movimentação de pessoas na manhã de hoje (10) - Luciano Belford/Agência O Dia/Estadão Conteúdo
10.mai.20 - Apesar dos números e das recomendações para o isolamento social, o calçadão de Copacabana apresentava intensa movimentação de pessoas na manhã de hoje (10) Imagem: Luciano Belford/Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

10/05/2020 16h12

O bairro de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, se tornou o local com o maior número de mortes e casos confirmados de covid-19 na cidade.

De acordo números divulgados pelo painel de monitoramento da Secretaria Municipal de Saúde, a região concentra 411 contaminações pelo coronavírus e 71 óbitos decorrentes da transmissão. O levantamento é da última sexta-feira (8).

Como o UOL mostrou na última semana, Copacabana deve sofrer um "lockdown parcial" nos próximos dias para conter o avanço da doença.

Apesar dos números e das recomendações para o isolamento social, o calçadão da Avenida Atlântica, que margeia a praia, apresentava intensa movimentação de pessoas - algumas delas sem máscaras de proteção - na manhã de hoje.

O bairro já liderava a estatística sobre o número de contaminações confirmadas da doença. Porém, ainda ficava atrás do bairro de Campo Grande, na zona oeste, no que dizia respeito ao número de mortes.

Campo Grande, no entanto, foi o primeiro bairro do Rio de Janeiro a receber o "lockdown parcial", na última quinta-feira (7). Grades e barreiras impedem a circulação de pessoas que não estejam realizando atividades consideradas oficiais nos pontos de maior aglomeração da região.

O bairro de Bangu, vizinho a Campo Grande, também passa por bloqueios desde a última sexta (8).

O secretário de Ordem Pública, Gutemberg de Paula Fonseca, que chefia o gabinete de crise montado pelo município para combater o coronavírus, explicou como é feito o monitoramento para decidir quais bairros terão bloqueios.

"No gabinete, monitoramos o movimento de pessoas através de dados obtidos via antenas de celulares e satélites que mostram a chamada 'mancha de aglomeração', além de câmeras da CET-Rio espalhadas pela cidade", disse.

Bairros da zona oeste inspiram atenção

Dos cinco bairros do Rio de Janeiro com mais mortes por covid-19, até o dia 8, apenas Copacabana não fica na zona oeste.

  • Copacabana - 71
  • Campo Grande - 58
  • Bangu - 50
  • Barra da Tijuca - 38
  • Realengo - 34

Em relação aos número de casos confirmados da doença, dois bairros das zona sul (Copacabana e Botafogo), dois bairros da zona oeste (Barra da Tijuca e Campo Grande) e um bairro da zona norte (Tijuca) lideram o ranking.

  • Copacabana - 411
  • Barra da Tijuca - 359
  • Campo Grande - 282
  • Tijuca - 255
  • Botafogo - 207

Rio de Janeiro já registra 1.653 mortes

Os dados mais recentes da SES (Secretaria Estadual de Saúde) do Rio de Janeiro apontam 1.653 mortes pelo novo coronavírus no estado, sendo 1.092 óbitos só na capital.

Há ainda 831 óbitos em investigação pelo governo estadual, e 169 mortes tiveram causa por covid-19 descartada. O Rio de Janeiro registrou, até a tarde de ontem (9), 16.929 casos confirmados da doença. Entre os diagnósticos, 10.732 pacientes se recuperaram da covid-19.

A ES, em nota, esclarece que os casos e óbitos registrados no boletim não ocorreram nas 24 horas que antecederam a divulgação. O intervalo mede apenas o período em que os diagnósticos e causa de morte foram confirmados.

Saúde