PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

BH começa a testar população para saber quem teve contato com coronavírus

UESLEI MARCELINO
Imagem: UESLEI MARCELINO

Do UOL, em São Paulo

19/05/2020 09h35

A Prefeitura de Belo Horizonte anunciou que vai ampliar a partir de hoje a aplicação de testes rápidos para detectar a presença de anticorpos contra o novo coronavírus em parte da população.

A testagem será por amostragem nas categorias profissionais que estão em atividade. O primeiro grupo submetido aos testes será o de profissionais de saúde das redes pública e privada. Depois, virão os trabalhadores do transporte coletivo e, na sequência, atendentes e caixas de supermercados, padarias, farmácias e drogarias da capital.

Em relação aos profissionais de saúde, nessa primeira fase os testes serão feitos em médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas e cirurgiões dentistas de hospitais públicos e privados, Unidades de Pronto Atendimento e Centros de Saúde.

Com o resultado, vamos conseguir verificar como está a circulação do vírus e a imunidade desses segmentos da população, que exercem atividades essenciais. Nossa expectativa é testar 30 mil habitantes por milhão, o dobro do que foi realizado na Coreia do Sul
Jackson Machado Pinto, secretário municipal de Saúde de Belo Horizonte

Essa população foi escolhida para a aplicação dos testes porque não pode participar integralmente do afastamento social, representando assim um grupo teoricamente mais exposto à infecção pelo vírus, segundo a prefeitura.

As informações sobre a dinâmica da contaminação neste grupo ajudarão na tomada de decisões sobre o eventual retorno de atividades que não estão em funcionamento no município, informou a administração municipal.

Testes serão para quem tem ou não sintomas

Poderão fazer os testes pessoas com ou sem sintomas da doença. Será coletada uma amostra de sangue para verificar a presença de anticorpos de defesa contra o coronavírus, que são desenvolvidos no organismo depois que as céluias tê contato com o vírus.

A testagem será feita por três vezes, com intervalo de 14 dias, para comparação da presença dos anticorpos e, por consequência, a intensidade de transmissão da doença nesses segmentos.

Para fazer o teste, o trabalhador terá de assinar um termo de consentimento. A coleta de dados e do sangue será feita nos locais de trabalho dos participantes e incluirá questionário composto por dados de identificação e eventuais sintomas.

A prefeitura informou que os profissionais que fazerem o teste terão o sigilo dos dados fornecidos preservados e receberão orientações sobre como proceder, de acordo com o resultado do teste.

Coronavírus