PUBLICIDADE
Topo

MG: 'pode vir uma 2ª onda e situação se tornar incontrolável', admite Zema

Governador disse que está "acompanhando com lupa" a epidemia no estado - Pedro Gontijo/Imprensa MG
Governador disse que está 'acompanhando com lupa' a epidemia no estado Imagem: Pedro Gontijo/Imprensa MG

Do UOL, em São Paulo

05/06/2020 12h04

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), admitiu hoje que uma segunda onda de contaminação pelo coronavírus no estado poderia ser trágica. Zema reforçou sua preocupação ao fazer um apelo para que a população continue cumprindo medidas de distanciamento social, mesmo com a retomada das atividades econômicas em vigor em grande parte do território mineiro.

"Todo cuidado é pouco. Eu sempre tenho alertado que quem pode manter o isolamento que mantenha, o distanciamento, e os cuidados de higiene porque já vimos que pode vir uma segunda onda e a situação se tornar incontrolável. Estamos acompanhando com lupa para que nada saia do controle", afirmou o governador em entrevista à CNN Brasil.

Zema lembrou que o seu governo não tem controlado diretamente o fechamento nem a abertura das atividades. O estado criou o projeto Minas Consciente para dar as diretrizes e protocolos recomendados neste momento da epidemia e deixa a responsabilidade a cargo dos municípios.

"Desde que passamos pelo pior, depois do isolamento, eu tomei a decisão de deixar a decisão do que abrir e quando abrir a cargo dos prefeitos. Temos aqui o Minas Consciente, que são os protocolos. Aquilo que é uma atividade normal, sem grande risco, já está funcionando", disse. "O prefeito sabe muito melhor que eu qual é a realidade da cidade dele."

A capital Belo Horizonte, por exemplo, ainda segue com restrições mais rígidas de funcionamento do comércio e é esperado que uma reabertura se inicie apenas na próxima semana.

"Temos 50% ainda das cidades de Minas que não tiveram sequer um caso confirmado, e você tratar de modo genérico situações diferentes não seria adequado. Daí estamos dando essa autonomia e tem funcionado", argumentou o governador mineiro.

Zema reconheceu que já existem cidades com aumento de casos nos últimos dias. Nesse caso, o governador não descarta um recuo na reabertura das atividades e até a possibilidade de decretar um lockdown mais rígido.

"O Vale do Aço teve e nos preocupa muito um grande crescimento de casos nos últimos dez dias. Todos os prefeitos da região e os secretários de Saúde já estão alertados. Caso essa curva não mude, não descartamos ter algo do tipo como um lockdown lá naquela região. Vale lembrar que serão situações pontuais, eventuais", concluiu.

Coronavírus