PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: Brasil chega a 64.900 mortes e supera 1,6 milhão de casos

Cova é aberta em cemitério de Manaus; Brasil chegou a 64.867 mortes e tem mais de 1,6 milhão de casos - Altemar Alcantara/Semcom
Cova é aberta em cemitério de Manaus; Brasil chegou a 64.867 mortes e tem mais de 1,6 milhão de casos Imagem: Altemar Alcantara/Semcom

Do UOL, em São Paulo

05/07/2020 18h50Atualizada em 06/07/2020 23h26

O Brasil registrou mais 535 mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas e agora tem 64.900 óbitos, de acordo o consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. Já os dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde apontam para 602 mortes nas últimas 24 horas, totalizando 64.867 óbitos.

Segundo o consórcio, o país ultrapassou a marca de 1,6 milhão de casos confirmados da covid-19, com 26.209 novos casos, e tem total de 1.604.585 infectados, 1.530 a mais que o divulgado pela Saúde.

O estado de Goiás fez atualização em seu sistema, mas apontou os mesmos números de casos (28.526) e óbitos (621) registrados ontem. A secretaria de Saúde de Goiás informou que verifica o que ocorreu no sistema que não registrou notificações ao longo do dia.

Já o Governo do Amazonas disse que errou ao informar que o número de casos de ontem no estado era de 75.945. Na tarde de hoje, após nova recontagem, o governo anunciou o erro em nota, informando que o número era menor do que o divulgado. A diferença é de 443 casos, que foram atribuídos de forma errada à cidade de Tefé.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil ainda tem 906.286 casos recuperados da doença e outras 631.902 pessoas em acompanhamento.

Universidade: Brasil tem mais de 1 mi de recuperados

O número de recuperados diverge do apontado pela Universidade Johns Hopkins. Segundo a universidade, o Brasil superou a marca de 1 milhão de recuperados do novo coronavírus. De acordo com os dados até às 17h32 de hoje, o país tem 1.013.951 pessoas que se recuperaram da covid-19.

Em números absolutos no painel da Johns Hopkins, o Brasil tem mais recuperados do que os Estados Unidos (894.325 recuperados), segundo país na estatística. No entanto, a universidade não tem os dados de curados de oito estados ou territórios norte-americanos, entre eles três que já passaram de 100 mil casos registrados: Califórnia, Illinois e Flórida. Os outros territórios são: Georgia, Washington, Missouri, Porto Rico e Grand Princess.

Diante da ausência desses dados, não se pode dizer ao certo quantos são os norte-americanos recuperados da covid-19. Segundo o site Worldometers, já seriam mais de 1,28 milhão de curados nos Estados Unidos.

Saúde omite mortes por covid-19 nas redes

Há 51 dias sem ministro titular na Saúde, o governo Jair Bolsonaro (sem partido) continua omitindo, desde a saída de Nelson Teich, os números totais de mortos por coronavírus em redes sociais.

As publicações do governo no Twitter e Facebook favorecem a divulgação de "brasileiros salvos", "em recuperação" e indica o número total de casos, com rankings comparativos com outros países. Já o indicativo de mortes apresenta o número de óbitos por milhão, e não os dados totais.

O Brasil é o segundo país com mais mortes pela covid-19, atrás apenas dos EUA, mas no índice de mortes por 1 milhão, divulgados nas redes pelo governo, aparece em 15º.

Veículos se unem em prol da informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro (sem partido) de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa e assim buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no segundo parágrafo do texto, o país registrou 26.209 novos casos, e não 26.652. A informação foi corrigida.

Coronavírus