PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Estudo: Isolamento social pode ter poupado 118 mil vidas no Brasil em maio

Brasil terminou maio com 29.367 mortes por covid-19, mas sem isolamento número poderia chegar a 147.447 - Getty Images
Brasil terminou maio com 29.367 mortes por covid-19, mas sem isolamento número poderia chegar a 147.447 Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

24/07/2020 07h47

Um estudo realizado por professores da área de estatísticas econômicas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) aponta que até 118 mil vidas podem ter sido poupadas no Brasil por causa de medidas de isolamento social em maio para evitar a disseminação do novo coronavírus. O resultado da pesquisa foi publicado hoje pelo jornal O Globo.

De acordo com o professor Caio Chain, a equação estudou a transmissão do coronavírus e levou em conta dados de isolamento social a partir de monitoramento por GPS de celulares e como eles interferiram na disseminação da doença pelo Brasil

"Assim, conseguimos ver como teria sido a pandemia sem isolamento social, obtendo um número projetado de casos e, aplicando a taxa de letalidade do modelo epidemiológico da covid-19 Brasil, chegamos a algumas estimativas de mortes que foram evitadas", explicou.

A estimativa aponta que a cada 1% de aumento no isolamento social houve uma redução na taxa de crescimento do vírus de até 37%.

Levando isso em conta, maio apresentou um índice de 44% de isolamento, com 29.367 mortes registradas em razão da covid-19. Dentro da equação montada, uma porcentagem de 25% de isolamento, como foi em fevereiro e retrata a média normal no Brasil, resultaria em 147.447 mortes, o que geraria uma diferença aproximada de 118 mil ao número oficial no mês.

O estudo ainda diz que, em comparação a levantamentos parecidos realizados em outros países, o isolamento no Brasil foi pouco eficiente.

"O número de óbitos no Brasil em um mês, no cenário provável, seria 5 vezes maior sem as medidas restritivas, o que indica um isolamento pouco eficiente. As estimativas, publicadas na revista científica Nature, verificaram que o número de mortes na Europa (11 países analisados) seria de 3,2 milhões de pessoas em vez de 129 mil, 25 vezes mais, se não fosse o conjunto de medidas de isolamento ("não farmacológicas") adotado pelas autoridades entre março e abril, início da pandemia do coronavírus", diz o texto.

Agora, no acumulado desde o início da pandemia, o país tem 84.207 vítimas fatais da covid-19. O total de infectados em todo o Brasil chegou a 2.289.951.

Coronavírus