PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

OMS diz que precisa de US$ 15 bilhões para colocar o Covax no ar

11.mar.2020 - O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, participa de entrevista coletiva em que foi anunciado que a epidemia de covid-19 passa a ser considerada pandemia, pela organização, quando há transmissão simultânea do vírus em vários locais do planeta - Fabrice Coffrini/AFP
11.mar.2020 - O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, participa de entrevista coletiva em que foi anunciado que a epidemia de covid-19 passa a ser considerada pandemia, pela organização, quando há transmissão simultânea do vírus em vários locais do planeta Imagem: Fabrice Coffrini/AFP

Do UOL, em São Paulo

21/09/2020 12h52

O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom, afirmou hoje que a Organização precisa de US$ 15 bilhões (cerca de R$ 81 bilhões) "imediatamente" para colocar o Covax no ar nos próximos dias.

Tedros explicou que esse dinheiro será usado para investir no ACT (Acelerador de Acesso às Ferramentas), uma parceria da OMS que visa a divisão equitativa de vacinas, tratamentos e diagnósticos da covid-19.

A iniciativa Covax, para divisão equitativa das vacinas para países de baixa renda, está inclusa no ACT. Até o momento, 64 países de alta renda já se comprometeram em participar do Covax e outros 38 países devem confirmar a presença nos próximos dias.

A expectativa da OMS é começar a assinar acordos de compras com os produtores de vacina nas próximas semanas.

"Quase 200 vacinas estão em fase de estudo clínico e outras pré-clínico. O Covax permite aos governos reduzir o risco e que a população tenha um acesso precoce a vacinas eficazes", afirmou Tedros.

A OMS já conseguiu US$ 3 bilhões para o ACT por meio de parcerias com governos e instituições privadas. Esses US$ 15 bi seriam usados para "cumprir com nossos prazos ambiciosos", disse Tedros.

Segundo a OMS, a meta do ACT também deve ser republicada nos próximos dias. Em julho, a organização pedia US$ 31 bilhões para a iniciativa, que deve mudar para US$ 37 bilhões.

A OMS diz que a meta foi alterada para ajudar os sistemas de saúde de países pobres.

Tedros ressaltou que a divisão das vacinas pode ajudar a economia. "[O covax] ajudará a controlar a pandemia asalvar vidas, acelerar a recuperação econômica. A corrida para vacina deve ser uma colaboração e não competição", destacou.

Em relação à vacina, a OMS reafirmou hoje que a meta é ter 2 bilhões de doses da vacina para serem distribuídos até o fim de 2021.

Coronavírus