PUBLICIDADE
Topo

Saúde

Brasil registra 662 novas mortes por covid-19 em 24 h; óbitos somam 154.888

Brasil tem mais de 154 mil mortos pela covid-19 e 5,2 milhões de infectados - Eduardo Anizelli/Folhapress
Brasil tem mais de 154 mil mortos pela covid-19 e 5,2 milhões de infectados Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/10/2020 18h58Atualizada em 20/10/2020 20h38

Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 662 novas mortes por covid-19, chegando a um total de 154.888 óbitos causados pela doença desde o início da pandemia. As informações são do consórcio de veículos do qual o UOL faz parte.

Foram notificados 23.690 novos casos desde ontem. No total, o país tem 5.274.817 diagnósticos pela doença provocada pelo novo coronavírus.

    A média móvel de mortes, calculada com base no número de óbitos ocorridos nos últimos sete dias, é de 546, o que representa queda em relação à variação de 14 dias atrás.

    Conforme o levantamento feito pelo consórcio, 15 estados tiveram desaceleração na média móvel de mortes pela doença na variação de 14 dias, enquanto só o RN apresentou alta.

    Entre as regiões três tiveram estabilidade, Nordeste (-7%), Sudeste (-11%) e Sul (-2%); e duas tiveram queda, Centro-Oeste (-31%), Norte (-27%)

    Veja a oscilação nos estados:

    • Aceleração: RN
    • Estabilidade: DF, MA, PB, PI, PR, RJ, RR, RS, SE, SP e TO
    • Queda: AC, AL, AM, AP, BA, CE, ES, GO, MG, MS, MT, PA, PE, RO e SC

    Dados da Saúde

    Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registrou 661 novas mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, o país soma 154.837 mortes provocadas pela doença desde o início da pandemia.

    Desde ontem, foram confirmados 23.227 novos casos de covid-19, com um total de 5.273.954 diagnósticos em todo o país.

    O governo federal considera 4.721.593 casos recuperados e afirma que há 397.524 pacientes em acompanhamento.

    Governo vai comprar 46 milhões de doses de CoronaVac

    O Ministério da Saúde anunciou hoje que o governo federal vai comprar 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo Instituto Butantan, em São Paulo, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Life Science. O governo deve gastar R$ 2,6 bilhões para a compra do imunizante.

    A vacina, segundo o ministro Eduardo Pazuello, será incluída no PNI (Plano Nacional de Imunizações). "Temos a expertise de todos os processos que envolvem esta logística, conquistada ao longo de 47 anos de PNI. As vacinas vão chegar aos brasileiros de todos os estados", disse o general.

    Veículos se unem pela informação

    Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

    O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

    Saúde